Levar ou alugar prancha de surf?

Eu com minha companheira temporária

Se tem uma coisa que eu senti saudade, na Costa Rica, foi da minha prancha. Acabei "adotando" esta da foto, uma Cartoon feita no próprio país - que supriu minha necessidades.  

Resolvemos não levar nossas pranchas porque, sinceramente, o preço que cobram pelo transporte de material esportivo pode beirar o absurdo, ou seja, pode ficar mais caro do que as próprias passagens. Sim, tudo isso depende e varia em relação a qual companhia aérea viajamos, obviamente. O valor que pagaríamos pelo transporte de ida e volta seria 600 dólares sem seguro (duas pranchas, 4 voos, já que teríamos dois layovers).  
 
Fora o perrengue que é carregar as pranchas quando temos conexões, transportes pra alugar e tudo mais. Resolvemos alugar por lá, assim poderíamos experimentar diversos tamanhos de acordo com o tamanho das ondas (dá pra trocar de prancha quando quiseres) e pagar muito menos.  

No final, foi a melhor decisão que tomamos, mas ficam algumas lições: 

  1. Melhor procurar um voo direto - neste caso, seria Barcelona – San José. Isso evita o perrengue de carregar as pranchas por outras cidades e diminui o risco de acontecer algo com elas. No final, se o preço da passagem for só um pouco mais cara, vai valer a pena pelo voo ser direto (ufa) e também por não termos que pagar a mais pra levar ou alugar no local.  
  2. Procurar com calma as companhias aéreas que não cobram pelo transporte da prancha. Se der pra unir o útil ao agradável (voo direto e sem taxa extra pra transporte), melhor ainda. O preço final pode valer mais a pena :) por exemplo: se a passagem ficar 300 euros mais cara, melhor pagar isso e ter sua pranchinha contigo na trip.  
  3. Não esquecer de procurar destinos de surf que podem não ser aquele do primeiro plano, mas que tenham uma logística muito mais fácil/barata e que seja similar.  
  4. No mais, foi tudo lindo e #puravida <3