Giorgio de Chirico, finalmente "espanhol"

O CaixaForum Barcelona é sede da primeira exposição antológica do artista italiano, um dos mais influentes e enigmáticos do século XX. A exposição traz 142 obras misturadas em quadros, esculturas, desenhos e litografias – a grande maioria da coleção privada de Giogio de Chirico.

A exposição tá linda e bem organizada, do jeitinho que o CaixaForum sempre faz. Sem barreiras visuais, El mundo de Giorgio de Chirico. Sueño o realidad, percorre todas as fases do pintor italiano. “A montagem da exposição teria encantando Chirico”, assegura com orgulho Paolo Picozza, presidente da fundação Giorgio e Isa de Chirico, que administra a casa-museu em Roma.

chiricocaixaforum

 

Arquiteturas e praças silenciosas, manequins humanizados, personagens mitológicos, natureza morta* e objetos descontextualizados em paisagens que evocam uma atmosfera de suspense.

*Durante toda a minha vida, eu também me questionei sobre "still life" ser traduzido como natureza morta. O que está morto? Aquilo é vida real, vida parada, vida silenciosa. Chirico pensou da mesma maneira e passou a chamar "still life" de vida silenciosa, em vez de natureza morta. 

Uma retrospectiva que mostra a evolução da produção artística do grande mestre da arte metafísica e um dos mais influentes do século passado.

 

chirico

Para clientes do banco La Caixa, a entrada é grátis. Para os demais, a bagatela de 4 euros. IMPREDÍVEL.

E, por favor, não deixe de visitar gratuitamente o terraço modernista. 

terraçomodernista

 

 

 

 

Endereço

Av. de Francesc Ferrer i Guàrdia, 6-8
08038 Barcelona
Tel. 93 476 86 00

HORARIO

De lunes a domingo y festivos, de 10 a 20 h

Los miércoles de julio y agosto, de 10 a 23 h

Los días 24 y 31 de diciembre y 5 de enero, de 10 a 18 h

El centro permanecerá cerrado los días 25 de diciembre y 1 y 6 de enero.

TRANSPORTES

METRO

Líneas 1 y 3, con parada en Espanya

AUTOBUSES

Líneas 13 y 150, con parada delante de CaixaForum

Líneas 9, 23, 27, 37, 46, 50, 65, 79, 91, 109 y 165, con parada en pl. d’Espanya

Líneas D20, H12, H16, V7, L72, L80, L81, L86, L87, L95, con parada en pl. d’Espanya

BICING

Gran Via – Pl. d’Espanya (estación nº 96)

Rius i Taulet (estación nº 237)

Últimos dias para Cubismo e Guerra, no museu Picasso

Acabaram as férias e, agora, voltei com força.

Prontos pra informações sobre a cena cultural, artística e gastronômica de Barcelona e mundo?

Até o final do mês, estará a exposição temporária Cubismo e Guerra, no Museu Picasso.

Sem dúvida, é a exposição mais importante do ano para o local e trata de um amplo olhar nas vanguardas artísticas durante a I Guerra Mundial, que impactou de maneira crucial o desenvolvimento do cubismo.

Os artistas impregnaram suas obras de estabilidade e integridade diante do caos e da barbárie da que tinha sido, até aquele momento, a guerra mais mortífera da história.

"Cubismo y guerra. El cristal en la llama" tem como protagonistas Pablo Picasso, Juan Gris e Diego Rivera, 3 artistas estrangeiros erradicados em Paris.

Para não dar mais spoilers, preciso só dizer que estamos diante de uma exposição de grande relevância, já que é a primeira vez que Barcelona pode contemplar o cubismo relacionado à I Guerra Mundial. São mais de 60 obras do período vindas de Amsterdam, Londres, Paris ou Nova York.

 

MEAM e um dia de museu inesperado

Era domingo e o nosso único plano era curtir. Não sabíamos ao certo fazendo o que exatamente, mas seria aproveitar alguma "Barcelona" inusitada.

- Vamos so MEAM? - eu disse, depois de um estalo que me veio.
- O que é? 
- É o Museu Europeu de Arte Moderna. Nunca fui e tampouco sei se é bom ou ruim. Só sei que fica numa das ruelas do Born, numa construção do século XVIII. Ah, é perto do museu Picasso que, seguramente, estará LOTADO hoje. 

Foi assim que começamos nosso domingo invernal: sem muitas pretenções. 

O MEAM foi inaugurado em 2011, no Palacio Gomis, pertinho do Museu Picasso. A construção é bonita e acolhedora, onde o jardim no centro nos convida a descobrir a arte moderna dos séculos XX e XXI.

Ruelas medievais, palácio barroco e arte moderna: só esse contraste já seria o suficiente pra fazer nosso domingo feliz. Porém... o MEAM nos surpreendeu com sua originalidade em pinturas, esculturas e fotografias de artistas ainda não tão conhecidos mundo afora. 

O staff  nos deixou felizes com a gentileza, atenção e conhecimento das obras, o hiper-realismo escultural, o pátio pronto pra ser usufruído e, pasmem, o museu sempre vazio. Não conseguimos entender o último detalhe :( um museu tão original, tão bem pensado. 

Pra que nossa visita se tornasse ainda melhor, decidimos sair para tapear num restaurantezito logo ao lado (Nou Celler), assim tomaríamos um vinho pra inspirar e ainda voltaríamos de barriga cheia. Dito e feito. O MEAM nos inspirou, observamos todas as obras e ainda fizemos nossa análise ultra contemporânea, como mostra a galeria de fotos :P

Aprovado.

Importante: sempre é bom checar o que tá rolando por lá. Há diversos concertos de música que podem ser combinados com uma visita ao museu. 

Museu Europeu d'Art Modern
Barra de Ferro, 5
08003

Tel. (+34) 933 195 693
http://www.meam.es/
 

Detalhes - Casa Batlló

A casa Battló é uma das atrações imperdíveis da cidade.

Pra iniciar o especial de Barcelona, aqui vão detalhes dessa casa que é uma das obras mais importantes do "geninho" Gaudí.

A Casa Battló faz parte da "manzana de la discórdia", em pleno Passeig de Gràcia. Manzana, em espanhol, quer dizer quarteirão e, nos posts a seguir, durante este mês, vocês vão entender o motivo da discórdia :)

La Mercè: a festa abusada de Barcelona

Existem poucas festas que são realmente INCRÍVEIS em Barcelona. Uma delas é a Mercè!

E agora me perguntam o motivo de eu chamar essa maravilha de abusada. É simples, ela quer tudo só pra ela, só pra quando ela passa. Tudo acontece, da arte ao rock, da dança ao vinho, para todas as idades, opções sexuais e raça. E o melhor, tudo de graça!

Quando começo a olhar a programação, fico meio atônita, sem saber o que escolher entre tantas alternativas que acontecem ao mesmo tempo. Poderia dar angústia, no meio da vontade louca de querer ver e participar de tudo; mas o que desperta é alegria de poder participar destes dias de festa.

Festivais de música que parecem um Primavera Sound de graça, dança no parque, arte na rua, torres humanas (castellers), energia. Tudo parece fluir harmoniosamente, mesmo com toda aglomeração que cresce a cada ano. Imperdível se estiver pela Espanha no período próximo ao 24 de setembro, o dia da Mercè, a padroeira da cidade.

Dos meus preferidos estão os fogos de artifício no fechamento, os eventos energizantes no parque da Ciutadella, a catalanices na Plaça Sant Jaume, BAM e shows gratuitos e, claro, a degustação de queijos e vinhos, que estará no Passeig de Sant Joan há 3 anos (agora em 2014). 

“A pasarlo bien sin quemar el bolsillo”.

Para mais informações sobre a programação, que se espalha pela cidade inteira, acessem: http://merce.bcn.cat/es/per-dia/2014-09-17

Vamo nessa! 


Jamboree - Uma história de tanto!

A história do Jamboree carrega uma reputação impressionante de música ao vivo. Nos anos 60, o lugar foi sede de uma lista absurda de nomes do Jazz, como Chet Baker, Ella Fitzgerald e Lionel Hampton. Remarcável!

Grandes nomes talvez não tenham mais tanta consitência por aí, mas o Jamboree compensa com uma dedicação fervorosa em apresentar gente com muito talento e, hoje em dia, com mais mistura de ritmos. Os shows, que normalmente começam às 21, ainda oferecem Jazz tradicional (e maravilhoso!), mas também complementa o acervo musical com alguns dias de música latina, inspirações de rock e até flamenco (aí já não aconselho muito).

Mas aí tem mais, o lugar ainda é uma cave que não nos deixa nenhuma dúvida sobre a ida! Talvez o tempo tenha mudado pra alguma coisa nova, mas o Jamboree ainda está caracterizado pelo amor à música que o distinguiu no passado. Cheers!

La diada de Sant Jordi: São Jorge!

Bienvenidos, jovens amantes, onde quer que vocês estejam!

Durante o mês de abril, celebra-se o dia de Sant Jordi (ou, em português, São Jorge), o santo padroeiro de Barcelona. La diada de Sant Jordi também é conhecida como o "dia dos amantes", sendo comparado algumas vezes ao dia dos namorados, inclusive mais latino em relação ao resto do mundo. O motivo? É o dia das rosas e dos livros! Os homens dão uma rosa às suas "novias" e, em contrapartida, as mulheres dão um livro aos seus "novios" para celebrar este dia.

Sim, eu prefiro ganhar livros a rosas! Porém, a tradição da troca só de rosas no dia de São Jorge vem desde o período medieval devido à crenças populares, e a de livros já faz parte de um costume mais recente, nascida no início do século passado, para homenagear dois dos melhores homens da literatura: Cervantes e Shakespeare (Espanha - Inglaterra) que morreram, ambos, em 23 de abril de 1616.

Nesta época, Barcelona já desfruta de um clima incrível de primavera, típicos da região, com céu azul e temperaturas amenas. A cidade já está verde após o inverno e as ruas ficam lotadas de editoras e livrarias com seus stands de livros e rosas. Um dia de amor e cultura, literalmente. As ruas principais são as Ramblas e a Rambla de Catalunya, que registram milhões de vendas de rosas e livros no final do dia. Fica até difícil encontrar uma mulher sem uma rosa nas mãos e um homem sem um livro.

Mesmo não sendo um feriado oficial, todos querem dar uma escapadinha para sentir o amor no ar. Vale a pena andar pelas ruas e observar as pessoas. Se você não tiver um novio ou novia (namorado ou namorada, em português), ainda há várias coisas para aproveitar: assistir a dança nacional da Catalunha, a Sardana, que acontece durante o dia na Plaça Sant Jaume; fazer parte das manifestações pelas ruas; assistir a leitura de livros pelos próprios autores em diversos cafés; observar as diversas performances de músicos e artistas em diversas ruas e praças da cidade. Ou então...

Aproveite para participar de um movimento criado há 3 anos e que toma conta das ruas: Comprar sem dinheiro é possível! São 1.010 livros que vão ser vendidos por "telefone para a sua mãe e diga que a ama", "inscreva-se em uma dança de rua" ou até mesmo "Seja um doador de órgãos". São gestos simples que deixam este dia ainda mais bonito. Ah! E se você quiser ser um doador de livros também é possível. Eu tenho vários aqui que vão ser doados no próximo dia 23 por um gesto mais bonito no planeta.

 

CURIOSIDADE:

A UNESCO declarou o dia 23 de abril, o dia nacional do livro. Além do mais, este é o único dia que o Palau de la Generalitat (O edifício do Governo Catalão) abre suas portas. E de graça! Você pode apreciar a construção gótica cheia de enfeites com rosas criadas para homenagear Sant Jordi. Um dica? Vá bem cedo!
 

 

Festa de Santa Eulália - alegrando fevereiro em Barcelona

Santa Eulália divide o padroado de Barcelona com N. Sra. das Mercês. E daí? Pra qualquer pessoa que não é religiosa (como eu), essa afirmação não chama a MENOR atenção. Mas não podemos esquecer de toda a cena artística e cultural que vem junto, de toda a festa pela celebração das "duas".

A diferença toda é que a Mercê ganha sempre uma semana de festa e a cidade fica toda em festa. Santa Eulália, tadinha, só um final de semana frio. :) Os ventos mudaram!

Sobre a festa

A festa começa hoje, dia 7 de fevereiro e vai até o dia 12. Do jeito que Barcelona gosta, muita atividade ao ar livre agitando esse "inverno" quase primavera que estamos tendo. Tradição, tecnologia, arte e shows de vanguarda se misturarão nestes dias.

Como parte das celebrações, organiza-se o Llum BCN (o evento mais esperado por mim, durante as festas), que é um festival de iluminação urbana que vai transformar as ruas e as praças do centro da cidade. E este ano se estende até o Parque de la Ciutadella ieeei! Já sobre as tradições, vão haver os famosos gigantes, anões, dragões e outros animais de fogo que fazem parte da cultura popular, juntamente com os diabos e os "castellers", na cidade velha. Eu adoro esse imaginário festivo de Barcelona!

Serão mais de 25 espaços e pátios de edifícios cheios de história que foram transformados graças a uma iluminação espetacular. Vale lembrar que este ano, 10 espaços foram adicionados, sendo criação de estudantes de arquitetura. Entre os espaços iluminados estão o Convent de Sant Agustí, Ca l'Ardiaca, a casa Padellàs, o palácio Finestres e o Antic Teatre - são espaços conhecidos aqui em Barcelona, mas que, com certeza, vão valer mais ainda a visita.

Vários dos museus da cidade estarão de portas abertas, como o Centro Cultural del Born, CosmoCaixa, Fundação Joan Miró, Museu Picasso, CCCB, Museu de História de Barcelona, Frederic Marés e vários outros. Pra quem quiser consultar a promação é só clicar neste link

Barcelona convida todo mundo a sair pelas ruas e viver as tradições puras da cidade.

Deixo o vídeo do llum 2013 pra dar mais vontade!

http://vimeo.com/80535420

Para quem quer saber a história da Eulália, aí vai:

"Eulália era uma jovem que cuidava de gansos e morava na vila de Sarrià, quando em Barcelona o governador romano Daciano começou a perseguir os cristão. Decidida a convencer o governador a parar com tal perseguição, e segura de seus dotes de oratória, foi até Barcelona. Daciano se sentiu impotente diante dos argumentos da jovem e considerou tal atitude uma insolência juvenil. Eulália foi presa y como castigo recebeu 13 castigos, justamente a idade que tinha. Foi levada pelada pelas ruas de Barcelona até a cadeia, localizada na rua Arc de Santa Eulália.

Entre todos os castigos, o mais horripilante foi quando seus carrascos a meteram em um barril, cheio de caco de vidro y objetos pontiagudos, e a fizeram rolar ladeira a baixo 3 vezes. Deus a protegeu e não deixou que sentisse dor. O lugar onde isto aconteceu foi na atual rua Baixada de Santa Eulália. Bom, por fim, Eulália foi crucifica, em uma cruz em forma de X, desnuda e em posição constrangedora. Milagrosamente, no momento da crucificação, caiu uma nevada que cobriu o corpo da Santa protegendo-a dos olhares maliciosos dos moradores. Uma vez morta, da sua boca saiu uma pomba branca que se alçou aos céus: era a sua alma. Hoje, os restos mortais de Santa Eulália estão na Catedral de Barcelona. No claustro da Catedral tem uma fonte com 13 gansos, que fazem referência a idade da Santa quando morreu e ao seu trabalho."

La Mercè: a festa abusada de Barcelona

merce

Existem poucas festas que são realmente INCRÍVEIS em Barcelona. Uma delas é a Mercè! E agora me perguntam o motivo de eu chamar essa maravilha de abusada. É simples, ela quer tudo só pra ela, só pra quando ela passa. Tudo acontece, da arte ao rock, da dança ao vinho, para todas as idades, opções sexuais e raça. E o melhor, tudo de graça!

Quando começo a olhar a programação, fico meio atônita, sem saber o que escolher entre tantas alternativas que acontecem ao mesmo tempo. Poderia dar angústia, no meio da vontade louca de querer ver e participar de tudo; mas o que desperta é alegria de poder participar destes dias de festa.

Festivais de música que parecem um Primavera Sound de graça, dança no parque, arte na rua, torres humanas, energia. Tudo parece fluir harmoniosamente, mesmo com toda aglomeração que cresce a cada ano. Imperdível se estiver pela Espanha no período próximo ao 24 de setembro, o dia da Mercè, a padroeira da cidade.

Dos meus preferidos estão os fogos de artifício no fechamento, os eventos energizantes no parque da Ciutadella, a catalanices na Plaça Sant Jaume, BAM e shows gratuitos e, claro, a degustação de queijos e vinhos, que estará no Passeig de Sant Joan nesta edição.

"A pasarlo bien sin quemar el bolsillo".

la_merce_-scaled1000 f87a9-211 merce

Fundació Joan Miró

44252_481307510099_2816674_n

Sinceramente? Ninguém duvida do meu amor por este artista. Inclusive tenho meu quadro favorito tatuado no braço/ombro. Esta fundação foi aberta ao público no dia 10 de junho de 1975 e sua origem veio da primeira grande exposição de Miró em Barcelona, no Hospital Santa Creu. Muitos artistas do mundo da arte e da cultura entenderam desde aí a oportunidade de dar a Barcelona um espaço que fosse de referencia da obra de Miró, mas também, por vontade dele próprio, o espaço teria de fomentar  o conhecimento e a difusão de arte contemporânea em todas as suas vertentes.

Obra

O acervo do museu, hoje em dia, compreende mais de 14.000 peças entre pinturas, esculturas, cerâmicas, desenhos e outros que fazem parte da obra de Miró.

A maior parte disso tudo foi doada pelo próprio artista. Outras obras vem da coleção da sua esposa, Pilar Juncosa, e da coleção de Joan Prats, um amigo íntimo de Miró e também uma das pessoas que incentivou a criação desta fundação. Outras ainda vem de doações um pouco depois da abertura.

O Espaço

O edifício já é uma obra em si, uma obra de Josep Lluís Sert, arquiteto e grande amigo de Joan Miró, sendo construído em alguns terrenos cedidos pela prefeitura de Barcelona no Parc de Montjuïc.

Desde os primeiros esboços de Sert, a fundação seguia os princípios da arquitetura racionalista (http://pt.wikipedia.org/wiki/Arquitetura_racionalista), com espaços distribuidos ao redor de um patio central, uma característica da arquitetura mediterrânea e as janelas características da obra do arquiteto. O projeto foi desenhado para abrigar toda a coleção do Miró e também para demonstrar capacidade e adaptação para exibir as criações de outros artistas do século XX e XXI.

Em 1988 o edifício da fundação foi ampliado com a finalidade de ganhar mais espaço para as exposições e foi projetada pelo amigo e discípulo de Sert, Jaume Freixa.

Informações:

Aberto: De 3ª à sábado, das 10 às 19hs, Outubro à Junho e das 10 às 20hs de Julho à Setembro. Quintas das 10 às 21:30h e domingos das 10 às 14:30h.
Tarifas: Adultos 8 € e Reduzida 6 €.
Metrô: 50, 55 y 193, ônibus Parc de Montjuïc  ou de Funicular , metrô: Paral·lel, tarifa integrada
http://fundaciomiro-bcn.org/

 44252_481307495099_3427589_n  44252_481307505099_3634071_n 44252_481307510099_2816674_n 44188_481307920099_5459507_n