Top 5: onde tomar um drink bacanudo, em Paris

Os meus bares preferidos da capital francesa (and counting...)

Área de ferveção e abertura de novidades sempre, acabo sempre citando mais do Haut Marais e 11ème do que dos outros bairros. Além de tudo, sempre morei nesta área, o que torna mais fácil já sair de casa e topar com algum lugar legal.  

Porém, alguns destes bares estão nas listinhas de pessoas mais confiáveis que eu :P fui lá, provei, gostei e compartilhei. \o

Mary Celeste

Virou meu queridinho, localizado a menos de 5 minutos a pé de casa. Tudo começou quando cheguei no Mary Celeste, numa segunda-feira fria e chuvosa. Eu, que não sou de sair (normalmente) em dias de semana – ainda mais numa segunda – me surpreendi: LO-TA-DO. Por sorte (muita, digamos) conseguimos uma mesa pra 4 pessoas na “cara do gol”, ou seja, do lado das portas de vidro com direito a visão da rua e do interior. A ocasião merecia a saída na segunda e um barzinho bem falado perto de casa.

Bom, mesmo lotado, o lugar ainda estava ali, “escondido”. Mesmo estando numa esquina hype do Haut Marais, a sensação era de exclusividade, já que a fachada não chama atenção. 

 

Drinks, ostras, pratinhos pra compartilhar (tapas)... Mary Celeste é um exemplo do grande ecletismo que Paris vive. Ele é comandado pela mesma equipe do Glass e do Candelária (cito abaixo, claro), então daí já tiramos o nível dos drinks, do serviço, da modernice.

Experimentamos diversos tapas, todos impecáveis, saborosos. Os drinks são diferentes e, bom, cuidado pra sair experimentando tudo, já que é essa a vontade que dá. Se quiser mais diversão, aconselho sentar no bar, no centro. Se for em dia de verão, as portas de vidro estarão abertas e dá pra ouvir o som da rua nas mesas exteriores.
 

Foto: Gourmantic

1, rue Commines 75003
 

Candelaria

Dos mesmos donos do Mary Celeste e Glass(que falo mais abaixo, no SoPi), o Candelaria é um barzinho escondido atrás de uma taqueria. Quando fui pela primeira vez, nem esperava por isso! Lotaaaaado, logo depois que atravessei o primeiro espaço (quem olha de fora não dá nada!).

Os coquetéis são preparados com louvor. Lembro do Duncan comentando que falou para o barman o que queria (um similar ao preferido do Mary Celeste) e o moço falou que faria um melhor ainda. Passou um pouco de tempo – estava lotado – e Duncan pesnou que ele tivesse esquecido, já que não anotou nenhum pedido de ninguém, em nenhum momento. 5 minutos depois, voilà: IMPECÁVEL. É um típico speak easy que oferece os melhores drinks da cidade. Cheio de charme, eu não deixaria de ir.

http://www.quixotic-projects.com/venue/candelaria

52 rue de Santonge





Panic Room

Tinha um Panic Room no meio do caminho. No meio do caminho tinha um Panic Room.

Nas minhas idas – quase – diárias ao supermercado (a vida como ela é!), passava ali pela frente e ficava pensando: tenho que pesquisar, ver se é bom, o que falam... Bem ao lado de casa, tenho que vir, ao menos uma vez. Duas casas a frente, estava o Pop In, barzinho curtição que fui algumas vezes quando morei aqui, pela primeira vez (2006 a 2010).

O Panic Room é um bar diferente dos que citei antes. É um típico inferninho com um andar subterrâneo onde o DJ toca música eletrônica. Foi lá que eu, finalmente, consegui tomar um G&T que se preze no verão parisiense. Entrada grátis, gente jovem e pista de dança.

101 Rue Amelot, 75011

Glass (AND Lulu White, Dirty Dick e Lipstick: todos em Pigalle)

Lembram quando falei da região de SoPi? O Glass, que também faz parte do http://www.quixotic-projects.com/  - os mesmos do Mary Celeste e Candelaria, fica aberto até as 4 da manhã (na sexta e sábado até às 5am) – o que é raro para Paris.

Dos 4 estabelecimentos, só não cheguei a conhecer o Hero (anotado na listinha dos must go na próxima estadia em Paris). O Glass faz questão de dar continuação a vida noturna secular de Pigalle, com coquetéis excepcionais e música que obriga a gente a se movimentar.

E se eu fosse você, além do Glass, aproveitaria pra fazer um tour de bars, todos na mesma rua, no efervescente Pigalle: Lulu White, Dirty Dick e Lipstick.

7 Rue Frochot, 75009

Daroco

De um inferninho típico berlinense na capital francesa, eu pulo pra um italiano bem decorado que pode ser chamado de bar pelos drinks que oferece. O Daroco tá na moda, é lugar de ver e ser visto, no 2ème arrondissement.

Os "irmãos" Roco, Roca e Rococo anunciaram o nascimento de outro irmão (maior, por ironia): Daroco, num espaço que já foi uma boutique de Jean Paul Gaultier. Tetos altos e espelhados, a tratoria fica com cara de bar porque, ao fundo, há o Da Nico: perfeito pro "l'apéro" ou pro pós-jantar. Bom, só indo pra entender. E vale a pena, com direito a vistas pra Galerie Vivienne. 

Foto: Figaro.fr

 

6, rue Vivienne - 75002

 

Verão em Paris: Paris Plages 2016

Paris Plages. Foto: Chic Place

É verão, então vamos aproveitar a praia, em Paris. Te pareceu estranho? Pra muita gente parece, mesmo, já que a gente só ouve falar no Rio Sena. Bom, tudo isso está certo, já que somente durante um mês por ano, há 14 edições, que a prefeitura da cidade coloca em funcionamento a praia de Paris, bem nas margens do rio.

São 5.000 toneladas de areia lavada bem no centro de Paris com direito a guarda-sol, espreguiçadeiras de praia e até coqueiros pra dar ainda um ar mais exótico ainda – já que conhecemos essas vias cheias de carros, carros e mais carros, normalmente.

Hôtel de Ville. Foto: Time Out

A ideia é tão boa (mas é claro!), que Paris Plage é escrava do seu próprio sucesso: nos dias de sol forte e calor excessivo, vem todo mundo aproveitar das cadeiras de sol, numa lotação, hehe. Difícil é conseguir um espaço tranquilo, principalmente sob os nebulizadores (até agora estou em dúvida dessa palavra – são aqueles vapores de água que nos refrescam). Mas vale a pena, já que o objetivo é de proporcionar diversão às pessoas que não saem de Paris durante as férias.

Paris Plages. Foto: Time Out

Mas, se não há o lado mais exibicionista pra colocar um biquíni e pegar um bronze por ali, o Paris Plage também é um ótimo lugar de encontro após o trabalho, pra tomar um drink, ler um livro numa atmosfera sensacional.

Au Bassin de la Villette

Hum... achou o Paris Plage “oficial” muito turístico? Sem problemas! Em La Villette existe um Paris Plage 2, fora do circuito e menos mainstream. Também está cheio de espreguiçadeiras, esportes náuticos e até um mini-golf.

Foto: Le Parisien

É uma bacia, ou seja, um lago, que está preparado com pedalinhos, bike-pedalinhos, esferas aquáticas, barquinhos elétricos e a remo. Pra quem não é muito fã das atividades aquáticas, há fora da água o famoso “pétanque”, totó, taï.chi e até dança. Ufa!

Quando? do dia 20 de julho ao 21 de agosto
Onde? Voie Pompidou, Hôtel de Ville e Au Bassin de la Villette
Que horas? As atividades e as margens estão abertas de 9 até meia-noite. As espreguiçadeiras são gratuitas e disponíveis de 9:30 às 20:30h. 

Péniche Le Marcounet

Domingo, as ruas nas margens do Sena estão sempre fechadas para carros, muita gente patinando, correndo, andando de bicicleta. A parte fechada mais famosa é a do les Berges com os badalados Rosa Bonheur sur Seine, le Flow e Faust, perto da ponte Alexandre III. 

Porém, em frente a île de St Louis, tem um péniche menos badalado e muito agradável. Num domingo em que queremos aproveitar TUDO, como foi o meu primeiro domingo de julho com climinha real de verão, encontramos um brunch musical (com música brasileira, diga-se). 

Passamos a tarde por ali, ouvindo música, aproveitando a brisa e o domingo. Como já tínhamos almoçado, não comemos o brunch. Da próxima, eu provo e conto. 

Além do brunch dominical, eles tem o restaurante e uma série de eventos que valem a pena ficar de olho pra curtir. Ah, Paris <3

 

O café/bar efêmero escondido no coração do Marais

foto: divulgação

foto: divulgação

Bares e lojas pop ups é uma condição que temos que aceitar há algum tempo. Do hype à sobrevivência dos negócios, lembro quando fui, pela primeira vez, a um jantar pop up: ainda morava em Barcelona e era tudo uma grande novidade.

Hoje em dia, a coisa ficou MUITO mais frequente e, terminei por descobrir (confesso que até agora não lembro como!), o café efêmero Le Jardin Municipal, que pertece ao Crédit Municipal de Paris e é um achado natural no coração de Paris, localizado no meu - e de muita gente - preferido Marais. 

Le Jardin Municipal é O terracinho verde e secreto do verão - e espero que esse verão chegue pra ficar - que pode ser desfrutado até o dia 25 de setembro de 2016. Adoro essas "calmarias" no meio do furdunço dos turistas. 

Foto: Paris Bouge


Calmaria, entre aspas, porque o lugar mede 300m2 + 250m2 de galeria interior e propõe uma agenda animada: projeções ao ar livre, showzinhos, DJs, brunchs, esporte, ateliers pra crianças... Além de tudo, ainda oferece um menu com produtos frescos da estação, vinhos orgânicos ou mesmo coqueteis. 

Tem um teaser aqui pra dar mais vontade :)


Le Jardin Municipal 

55/57, rue des Francs-Bourgeois
75004 Paris
De segunda a quinta: de 10:30h às 00h
Sexta e sábado: de 10:30h à 1h
Domingo: de 12h à 00.