"J'ai pour moi les vents, les astres et la mer"

Minhas viagens nem sempre são planejadas. Ok, ok, ok! Corrigindo: quando viajo só, minhas viagens dificilmente são planejadas no quesito "meus dias já são todos pré-definidos" ou de lugares que planejo com meses de antecedência. Existem dias que só quero pegar a estrada e ir a qualquer lugar. Isso pode ser por um, dois, três dias ou até um mês inteiro. Com a minha possibilidade de trabalhar só do computador, a facilidade de tornar uma viagem em realidade é muito acessível. 

Com Biarritz foi diferente. Planejei, pensei, sonhei demais, Haha. Eu surfo, né? Então essa cidade estava na listinha há tempos. Sempre quis conhecer a cidadezinha francesa. E as razões eram várias!

Além de ser um surf spot, Biarritz está localizada no sudoeste da França, pertinho da Espanha e ao longo da Costa Basca. Inclusive, a herança basca é fortíssima ali, seja na arquitetura ou mesmo na gastronomia (muitos bares de tapa).

La Grand Plage

É uma antiga vila de pescadores que ficou conhecida pela caça às baleias e tornou-se um grande resort a céu aberto para os franceses e espanhóis. Hoje em dia, é um dos pontos de encontro de surfistas, franceses e turistas que buscam uma une petite ville animada, que anda sendo cada vez mais descoberta pelos turistas. 

Em 1843, mon cher Victor Hugo descobriu o vilarejo e num momento de premonição certeira, disse que a cidade seria muito turística com o passar dos anos. Mas será que seria tão difícil prever? :P

O que acontece é que os planos mudaram pelo imprevisto. Com casa reservada, carro alugado e planos pra subir a Hossegor e até Bordeaux, minha mãe, que viria com a gente, quebrou o pé. Sim, Dona Neyla veio visitar a Europa pela primeira com o pé quebrado, numa cadeira de rodas e muletas pra ajudar.

Dona Neyla aproveitando o meu descanço na subida para uma foto

La Grand Plage no fundo

A cidade é bem adaptada para as pessoas com problemas de mobilidade física, ainda que tenha colinas, morros, subidas e descidas. Maravilha! Conseguimos nos locomover a pé e de cadeira de rodas pelos cantos da cidade e com algum esforço, claro (tive que levar a cadeira de rodas cidade acima), mas tudo só somou no exercício diário pós-surf.

 

Um pouco de história: Une petite ville surfeuse

Em 1957, Peter Viertel e sua esposa, Debora Kerr, chegaram a Biarritz pra rodar um filme. Com eles, trouxeram várias pranchas de surf trazidas diretamente do Havaí. Eles nem imaginavam que fariam nascer uma tradição! E eu agradeço, já que a cultura do surf floresceu.

Além de fuga surfista, Biarritz também é muito conhecida pela talassoterapia. Desde 1970, com a construção de dois grandes centos de talasso, mais de 400 pessoas diariamente vão a cidade em busca de cura para seus problemas de saúde.

A praia mais conhecida da cidade é a Grand Plage. Linda e, claro, lotada, heheh como toda e qualquer praia principal de um centro turístico – e ainda mais em agosto, durante as férias europeias.  Com a cadeira de rodas, não tive outra opção a não ser sentar numa das mesas dos restaurantes da orla. Passamos uma tarde muito agradável observando as pessoas, o surf crowdiado de agosto, a liberdade e tomando um pouco de sol. Foi até fácil encontrar a mesa, mas eu nunca ficaria aí se não fosse pela Neyla: acho bem caro. Em compensação, um lugar no mar...

La Grand Plage e o crowd do surf

Calçadão da Grand Plage no agosto do crowd (glossário no final do texto)

Entretanto, sem sombra de dúvidas, minha praia favorita, seja pro surf ou seja pra relaxar e comer algo, é a plage de la Côte des Basques. Um UAU bem grande pra essa praia extensa, com ondas em série e um dos meus lugares favoritos pra comer na cidade, o Le Surfing (pra saber mais dele, só clicar aqui)

No final do dia com um surf mais ou menos, neste dia.

A praia é repleta de barracas que nos proporcionam o aluguel de pranchas de todos os tamanhos, neoprene e até de SUP se o mar tiver flat, assim como a organização de aulas de surf em grupo ou particulares pra quem quiser aprender. Gente simpática e bacana, bastante espaço na água e o prazer de surfar no oceano Atlântico.

Dia "marromeno" de surf 

Detalhe Côte de Basques

Glossário

Flat: Um mar sem ondas. Bom pra uns, terrível pros surfistas
Crowd: Mar lotaaaaaaaaado de surfistas. Dá até agonia
Neoprene: Aquela roupa feita que os surfistas usam pra se proteger do frio

Esta é uma série de posts sobre Biarritz. Aguardem os próximos! :)