Biarritz - o meu paraíso francês e um texto descontraído sobre o que fazer

Posso ser clichê algumas vezes na vida? Não consegui pensar em outro título pro paraíso dos surfistas na Europa. Bom, um dos, né? Seria muita pretensão, com tanto mar, escolher apenas uma cidade pra representar o esporte.

Quando vim a Biarritz pela primeira vez, a viagem não foi completamente planejada, como eu contei aqui. Minha mãe vinha a Europa pela primeira vez, eu já estava com a passagem comprada e ela CAIU de um muro e quebrou o pé, alguns dias antes de vir. Veio de cadeira de rodas, haha (hoje, estou rindo, mas deu muito trabalho :P). Consegui pegar umas ondinhas, mas ficava sempre preocupada se ela estava bem, já que até pra ir ao banheiro a Dona Neyla precisava de ajuda.

Foi uma viagem linda, aproveitei a cidade de uma maneira inusitada (eu subi altas ladeiras empurrando a minha mãe, haha) e me apaixonei. Sabia que voltaria em breve (nem foi tão breve assim, mas tanta coisa aconteceu desde aquele momento) e a incluiria nos meus roteiros sempre que fosse possível.

Biarritz fica no sudoeste francês, mas só a 20km de distancia da Espanha. É a capital francesa do País Basco (da pra fazer uma dobradinha ótima com San Sebastian) e já foi “resort” oficial dos nobres – a esposa espanhola, Eugénie, de Napoleão III, fez questão de construir um castelo pras temporadas de férias. A rainha da Inglaterra também era frequentadora assídua. 

Hoje em dia, não mais frequentada pela nobreza, eu diria que Biarritz é a mistura quase perfeita pra mim: praias com ondas incríveis (mas o mar é gelado, por isso o quase perfeita), um mar esverdeado, a educação francesa, os queijos e vinhos e as ruelas que foram se formando sem planejamento, somente em torno da montanha e natureza.

A herança basca é bem forte e podemos encontra-la nos diversos menus e bares de tapas/pintxos espalhados por aqui e na arquitetura tradicional – e muito bem preservada – das casas da região. Por sinal, foi a arquitetura que deslumbrou Victor Hugo e o fez “prever” que seria um grande destino turístico. Como disse no primeiro post, em 2014, não era tão difícil de se prever assim, né não? 

Fizemos muito exercício, corremos até o farol diversas vezes ou, então, corríamos até o finalzinho da Plage de Côte des Basques, quando ela se tornava a muito mais tranquila Marbella. Biarritz é ótima pra andanças e corridinhas, perfeita pro surf e maravilhosa pela gastronomia - nós comemos MUITO bem e tem post dedicado só a isso.

 

O que fazer em Biarritz?


É uma cidade litorânea, então é claro que pegar uma praia está entre as atividades principais. Arriscar uma aula de surf também, né? Existem várias escolinhas nas duas praias principais, que são a Grand Plage, Côte des Basques e a pequenina e sem surf plage du port Vieux. Nos meses de verão, a Grand Plage fica realmente muito lotada, então, se tu buscares mais sossego, é só ir em direção ao Hotel du Palais e ao farol que tem uma mais sossegada, chamada Plage Miramar.

As praias de Biarritz não tem barzinhos, não passa ninguém vendendo nada - um dia eu até me perguntei se era proibido beber na praia porque não tinha ninguém com uma cervejinha. Mas pode, sim. É só se preparar e levar suas coisas pra comer e beber. 

Passear pelo centrinho é uma delícia, tanto perto do mercado municipal quanto já chegando no Port Vieux. Mas, sinceramente, eu fico aqui pensando e falo comigo mesma: era muito bom de comer, dava vontade de ir em diversos restaurantes. 

Como eu disse que focamos no exercício físico por lá, não tinha nenhum problema em ir correndo e/ou andando até o farol. Que vista linda e panorâmica da cidade. 

E no meio da subida, nós acabamos encontrando uns caminhos pelo morro e que não tinha absolutamente ninguém! Um dia, até levamos uma cordinha pra saltar e tentar perder um pouco do jantar do dia anterior :D

caminhos pelo morro: aqui que pulamos corda

Quase chegando no farol :)

Igreja Ortodoxa Russa no caminho

Depois do farol, descemos umas escadas. Conseguimos ver Anglet

Depois do farol, descemos umas escadas. Conseguimos ver Anglet

Rua Port Vieux: muito animada de noite

O Rocher de la Vierge, visto do Port Vieux

O Rocher de la Vierge é uma curiosidade natural e turística da cidade de Biarritz. Fica localizada entre o Port Vieux e o Port des Pecheurs e tem uma estátua da Virgem bem no topo. É um lugar emblemático dos Pyrénées-Atlantiques. Uma passarela metálica – atribuída a Gustav Eiffel – nos permite chegar até o rochedo. Conta-se por aí que ele servia como referência aos pescadores que saíam do porto e que Napoleão III que ordenou que o túnel fosse escavado entre ele. Esta era parte de um projeto pra construir um dique na cidade que nunca foi concluída porque as ondas o destruíam.

Conta-se a lenda que um grupo de baleeiros se perdeu, vítimas de uma tempestade, e só conseguiu voltar ao porto graças a uma luz que vinha do topo do rochedo. Em 1865, a estátua da virgem foi colocada no topo, em homenagens aos baleeiros. Vale a pena visitar e aproveitar as vistas da orla basca.

Num passeio a pé, vale a pena conhecer: o mercado central (Les Halles), onde, como em todos os mercados municipais, tem peixes frescos, produtos típicos da região, carnes, castanhas, ovos, legumes. Eu sempre digo: pra se conhecer bem a gastronomia e/ou cultura de uma região, precisamos visitar o mercado municipal. Como eu também sempre prefiro alugar apartamento, em vez de me hospedar em hoteis, já dá gosto de comprar os produtos fresquinhos pra cozinhar em casa. 

Entre a Grand Plage e o Port Vieux, uma ótima pedida é sentar na Place Saint-Eugénie pra observar as pessoas. Além da igrejinha, a praça tem diversos barzinhos e restaurantes. 

Pra quem gosta de jogo, o Cassino de Biarritz (https://www.casinosbarriere.com/fr/biarritz.html), inaugurado em 1901, é um ponto de referencia na cidade, na frente da praia principal. E pra quem curte jogo, dá pra ir tentar a sorte. 

Por último, o Farol (Phare de Biarritz) de 73 metros de altura construído em 1830. As vistas são um abuso de beleza e ele está erguido exatamente sobre o Cabo de Hainsart, que é a divisa da costa basca e Landes. As fotos abaixo são do site de turismo de Biarritz, já que eu só ia pra lá correndo e não levava a câmera :)