Espai Joliu: charme, café e plantas em Poblenou

Poblenou, Poblenou. É mais ou menos a região que eu ando “explorando” aqui em Barcelona porque meu crossfit (tem que falar de crossfit, haha), minha fisioterapia, tudo é por ali. Aproveito um momento e outro, pego o computador e corro pra alguma espaço novo pra tomar um café e me concentrar. 

espaijoliu

E, durante esse desbravamento que me apetece muito, eu conheci o Espai Joliu, um lugar charmosinho que abriu em dezembro de 2015. Com certeza, está entre os favoritos de muitas pessoas que moram ou trabalham por essa zona. 

É a união de um loja conceitual de plantas - como já notamos pelas fotos, haha - pequena galeria e café; o que cria uma ambiente aconchegante e único. E, em vez de reformar o lugar, eles escolheram deixar as paredes sem pintura, como se tivessem acabado de mudar. 

O café que tomei estava uma delícia e a barrinha natural e sem açúcar não aguentou nem 5 minutos (e olha que eu queria levar pra casa pro Duncan provar, haha #fail). 

Quando fui estava bem cheio: pessoas trabalhando, outras lendo, umas comprando plantas e famílias. Tudo parecia estar em total harmonia. E dá porta de entrada não damos nada. Na verdade, o espaço pode passar absolutamente despercebido, ainda mais por ser uma região de Barcelona que não é explorada turisticamente e possui muitos galpões industriais. 

Minha única crítica mesmo vai a um dos atendentes (só tinham duas pessoas) que não foi lá muito solícito. Para pedir o que queremos, temos que ir ao bar pedir, sentar e esperar. Quando fui pedir, já recebi um “vai demorar 10, 15 minutos”, também perguntei sobre os ingredientes da barrinha que eu queria e levei um: tá tudo escrito aí (hahaha). E eu complementei: então não tem açúcar? 

Neste momento, a menina que era muito mais simpática, virou e disse: o que não tem açúcar é este aqui.

Respirei tranquila, fui sentar e o menino de antes me trouxe um latte com um coração - imaginei na maior bondade que seria um pedido de desculpas por ele estar agoniado com tanta gente e tantos pedidos; ou talvez apenas um mau dia que todos temos, né não? 

 

Flax & Kale Passage: flexitarianismo em Barcelona

 O queridinho e marca da casa: Couve crocante apimentada

O queridinho e marca da casa: Couve crocante apimentada

Como vocês sabem, eu escrevi um guia amigo de Barcelona (que tu podes comprar aqui aqui e aqui) e, nele, uma das seções que eu gosto mais é a de gastronomia. Foi muito gostoso experimentar os restaurantes e, confesso, muito difícil escolher só alguns deles pra entrar no guia. Ainda bem que existe o blog e assim eu falo, posto, compartilho e haja foto, mano. O Primeiro Flax & Kale tá nele, assim como o pioneiro do grupo, o Teresa Carles <3

Conheci o Flax & Kale (o primeiro) logo que inaugurou: me intrigou de cara: cozinha flexitariana. O primeiro restaurante de Barcelona que segue essa linha de ser  80% plant-based e 20% com pescado azul. O tempo passou e o Flax & Kale é mais que um sucesso, sempre cheio com filas enormes na porta, principalmente nos brunches de final de semana (mas dá pra colocar o nome na lista de espera e ir flanar pelo Raval).

IMG_8100.JPG

FLAX & KALE

Já chega de introdução, minha gente. Vamos falar do novinho em folha, do Flax & Kale Passage.

IMG_8098.JPG

Só começo contando uma historinha pra vocês entenderem o amor pelo lugar- Era um domingo de inverno... Quer dizer, deveria ser de inverno, pleno janeiro; mas fazia 21 graus (isso é temperatura de primavera quase verão!). Sabe domingão de sol e a vontade de aproveitar os terraços cheios de mesas e gente? Sentir o calorzinho e observar o céu azul sem nuvem? Era isso que eu queria naquele domingo.

O que eu quero dizer com isso? Que é impossível sair daí sem ficar apaixonado. De verdade: impossível.

 O pão paleo mais saboroso da minha vida

O pão paleo mais saboroso da minha vida

A rua na parte mais alta do Born é estreita e ótima pro inverno: sem muita luz natural (e lembram que tudo o que eu queria estar terracinho?). Mas o espaço é tão surpreendente que eu até esqueci o que queria uma hora antes.

Localizado na rua Sant Pere Més Alt e que conecta com a rua Trafalgar através de uma enigmática passagem, a Passatge de les Manufactures, tudo ali foi pensado nos mínimos detalhes.  Entrada, a decoração pensada para adicionar à experiência, atendimento, tetos altos, cozinha aberta (pra quem fica depois de atravessar a passagem) e, claro, o cardápio – já que viemos com o foco na comida, né?

 Waiting!

Waiting!

A cereja do bolo é que, além de ter o vegetarianismo flexível, é saudável - um muito obrigada ao pão paleo que quase me matou de amor – já que os ingredientes são frescos e a montagem dos pratos altamente equilibrada.

Por sinal, não é apenas um cardápio... São 6 (SEIS): café da manhã, almoço/jantar, lanche, brunch, sobremesas e bebidas; unidos e se complementando a uma imensidão de receitas originais, como salada de “bacon” de coco com plant-based queijo azul, pão paleo com manteiga de amêndoas e óleo de côco, lasanha vegetariana, hambúrguer de lentilha...Errr, na verdade, pessoal, que tal vocês olharem os cardápios todos? É só clicar aqui (http://teresacarles.com/fk/menus-passage.html ), mas atenção, cuidado com o coração e a paixão fulminante!

 Salada: alface americana, "bacon" de coco, queijo azul vegano (plant-based). Juro que quase morri com esse prato &lt;3

Salada: alface americana, "bacon" de coco, queijo azul vegano (plant-based). Juro que quase morri com esse prato <3

E, para terminar, a diferença entre os anteriores é que o Passage, sem querer repetir a fórmula dos anteriores, apresenta uma oferta exclusiva que incorpora Pizzas saudáveis e sem glúten, Uma fusão saudável asiática (obrigada!!!), o Kombucha Lab e outras novidades.

 

 Pão sem glúten, hummus, molho de beterraba, ovinho e especiarias. Lá atrás, de novo e porque sempre, o pão paleo com a manteiga de amêndoas e óleo de coco (parecia manteiga mesmo).&nbsp;

Pão sem glúten, hummus, molho de beterraba, ovinho e especiarias. Lá atrás, de novo e porque sempre, o pão paleo com a manteiga de amêndoas e óleo de coco (parecia manteiga mesmo). 

Extra: o Yurbban Hotels recuperou e abriu ao público uma passagem histórica, em Barcelona, a Passatge de les Manufactures que, por sua decadência, estava fechada até os dias de hoje. Dois anos de reformas e quase 20 milhões de euros de investimento para o projeto presidido pelo novo Yurbban Hotel & SPA, reúnem a cidade velha e o Eixample. 

 

Baluard: A melhor padaria de Barcelona

 Foto: Baluard

Foto: Baluard

Tudo é questão de gosto, mas eu confesso que depois de morar em Paris e ter aquelas boulangeries todas à disposição, demorei pra conseguir encontrar um pão que me agradasse em Barcelona. Até que... Me mudei para o bairro da Barceloneta e, com a mudança, veio a padaria na minha rua.

Localizada bem em frente ao mercado da Barceloneta, eu passava e sempre tinha fila: dos moradores locais a turistas. Resolvi experimentar e tchum: foi amor.

 Foto: Baluard

Foto: Baluard

Existem vários tipos de pão, de baguetes, croissants, pão de chocolate, doces e tudo o que uma padaria tem direito. Lembrando que é padaria de porta, não é pra sentar e tomar seu café com pão, é pra entrar na fila e falar o que quer, pagar e sair carregando seus pãezinhos.

Essa é a quarta geração de padeiros, a qual Anna Besollà representa a família. Tudo começou lá em 1892, quando seu bisavô abriu uma padaria em Girona. Depois de passar por gerações, Anna fundou a Baluard, na rua de mesmo nome, em Barceloneta (ainda bem e gracias, Anna!).

Expansão:

No ano de 2013, a Baluard recebeu uma proposta de abrir um forno de pão de forno dentro do hotel Praktik Bakery, no Eixample. Assim nasce a segunda padaria Baluard, pra acalentar os corações da parte mais alta da cidade. Essa, sim, é o tipo de padaria/café que podemos sentar pra apreciar os pães e doces. 

Hoje em dia, abriram uma outra pequena padaria em Pedralbes e assim fazem chegar esses pães em diversos pontos de Barcelona (tem dentro da parte Gourmet do Corte Inglês também).

 Foto: Baluard

Foto: Baluard

Pães:

Se quiserem saber um pouco mais sobre os pães, acessem - mas não digam que eu não avisem de, de repente, a boca de vocês encher de água <3

http://baluardbarceloneta.com/es/nuestros_panes

“Cada pan es una pieza única, artesanal y casi artística, llena de texturas, colores, formas. Me gusta el pan. No hay un aroma tan sutil como el de un pan saliendo del horno. El aroma que llena las tahonas de un perfume de serenidad nocturno.

Me gusta el pan, el pan que solía hacer mi abuelo, el que me trae recuerdos de humanidad, de sabiduría y de trabajo. El pan que solía vender mi abuela.

El pan que más tarde amasaría mi padre y vendería mi madre… y ahora, pasado el tiempo, rodeados por el mar, instalados en la Barceloneta, barrio marinero y característico, la amasadora sigue amasando, el horno de leña gira a diario, la harina llena todos los rincones de nuestra tahona, y las manos dan forma con ilusión a lo que será un pan.

Sencillamente un pan.”

 Foto: Baluard

Foto: Baluard

The Green Spot - o vegetariano mais badalado da cidade

imagen-thegreenspot.jpg

Veggie for veggies. Veggie for non veggies.

E é isso mesmo que ele representa. Muitas pessoas não-veganas tem uma opinião completamente equivocada dos sabores da gastronomia vegana (achando que é ruim? Cês tão louco?) e, pasmem, conversando com o diretor, descobri que muita gente entra, come e sai sem saber que estava num vegetariano. Tá na hora de rever conceitos!

 Foto: reprodução (até eu levar minha camera)

Foto: reprodução (até eu levar minha camera)

Sexy, contemporâneo e de muito bom gosto, o Green Spot faz qualquer um esquecer seu amor por carne. O cardápio (que por sinal, acabou de mudar mais uma vez e ganhou 20 pratos novos – jan.2018) é vasto e saboroso: confiem nesta pessoa que mora ao lado e já fez quase menus-degustação aceitando as sugestões sempre bem-vindas dos responsáveis. O tagliatelle de batata-doce (Tagliatelle de Boniato con salsa de nueces de macadamia y trufa negra) concorreu até como melhor prato de 2018 pela time out Barcelona, ó céus!

greenspot2.jpg

Hamburguer, pizza, curry, chili sem carne. Saladas, entradas saudáveis ou friturinhas. Tem de tudo e o sabor jamais seria comprometido. O Ambiente clean e o atendimento excelente nos fazem querer ficar ali por horas. Além do design de interiores muito bem pensado (fiquem atentos ao jardim interno), se quiser, pode ir dar uma passeada pela cozinha, toda aberta, pra ver o movimento – inclusive podemos observar passando pela rua Reina Cristina.

Conversando por ali, soube que a dona do edifício que se encontra o restô é vegana e, por isso, sempre foi difícil conseguir ocupar o local que, por sinal, é MUITO bem localizado. Por sorte, ela aceitou que o restaurante fosse vegetariano, já que utiliza queijo em algum de seus pratos.

O grupo En Compania de Lobos tem outros restaurantes na cidade; todos são um sucesso. O The Green Spot só chegou para mostrar que eles não brincam em serviço e a qualidade/serviço/atenção é característica da casa. 

 E essa pizza?

E essa pizza?

Para completar, a carta de vinhos, drinks e cervejas não fica atrás.

Como está sempre cheio, melhor fazer reservas antes de ir – é possível fazer pelo próprio site deles.

C. de la Reina Cristina 12
08003 Barcelona
http://www.encompaniadelobos.com/the-green-spot/

 +34 938 02 55 65

Aberto de segunda a sexta de 12:30 à meia-noite
Sábados e Domingos de 12:30 à meia-noite (cozinha) – para tomar algumas coisa, pode ficar até as 2am.

Atenção: abre o dia todo, mas o cardápio é reduzido de 16 às 20.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Perikete – tapas de qualidade entre o Born e Barceloneta

 Perikete. Foto: Gastronosfera

Perikete. Foto: Gastronosfera

PERIKETE
UNA COPA DE VINO. UN BESO.
UN CAFÉ. UNA MIRADA.
UNA TAPA. UN ABRAZO.
UNA SONRISA. UNAS BRAVAS.
UN RAYO DE SOL…
LAS MEJORES COSAS, SE VIVEN EN UN “PERIKETE”

Pra contextualizar, em setembro de 2017, mudei pro que eu chamo de Oásis do Born e – quase – na Barceloneta. Uma “ilha” cheia de lugares legais para comer e beber, mas, ao mesmo tempo, central e – pasmem – tranquila.

Mudei e um dos locais que mais me chamou atenção foi o Perikete. Sabia que era relativamente novo e, caramba, estava sempre LOTADO. Quatro toldos que dão para a rua, uma barra ao fundo, jamóns pendurados pelo teto, mesas altas. Tem também a música num volume adequado pra puxar a gente para ali pra dentro.

Assim está o Perikete, cheio de cores, cheiros e muito sabor, e que ocupou um dos antigos bazares da Barceloneta, esse bairro nosso autêntico e do coração que faz questão de lutar por sua imagem e suas bodegas, seu povo e a vida de bairro.

 Foto: Perikete

Foto: Perikete

O chef da cozinha, Fran Díaz, que já tem uma boa experiência no grupo Reini, explica que a qualidade dos produtos, o serviço rápido e os preços bem justos ajudam o Perikete a ter esse sucesso desde o princípio.

Além do frescor nos arrematar o paladar, as paredes, ainda por cima, são literalmente cheias de garrafas de vinho com mais de 250 referências a um preço de loja. Porém, se preferem uma cervejinha, aí tem chope de Keler ou Turia, que são provenientes de Euskadi e Valência.

Agora, me digam, não é pra estar aí sorrindo? E o tamanho da minha sorte de ser vizinha desse “achado”?

 Foto: Perikete

Foto: Perikete

 

C. de Llauder, 6 Barcelona. Tel: 930242229 – abertos de domingo a domingo de 11 até 1 da manhã.

periketeee.jpg

A Rota de Tapas da Barceloneta

Pessoalmente, eu tento evitar (cof cof), mas não tem uma coisinha que me deixe mais feliz do que petisco e biritinha com amigos. Assim, num terracinho, num dia de sol e batendo papo furado - ou não, podemos discutir Sapiens e a breve história da humanidade, já que escrevo este texto enquanto estou ainda anestesiada com a leitura do mês de setembro/outubro – ou talvez do meu ano de 2017? Fiquei monotemática.

 Começando a rota de tapas: la cova fumada

Começando a rota de tapas: la cova fumada

Então, por que não aproveitar essa levada de amor e inspiração pra não indicar uns lugares de tapas e aperitivos na Barceloneta? Hamebus rota de tapas.

Chegando no ponto principal pra unir todo essa atração de amor aos petiscos e prazer pelo drink, não existe nada mais autentico nesta cidade do que a Barceloneta.

Ruelas pequenas, vizinhas de bob no cabelo sentadas na porta de casa, passa por ali o senhorzinho que leva seu cachorrinho para lhe acompanhar nas lotéricas, reunião no bar da esquina pra jogar conversa fora, roupas secando no varal das sacadinhas de prédios iguais. O bairro da Barceloneta é uma relíquia que precisa ser preservado, já que com a gentrificação e o turismo de massa, muitos bairros (em qualquer cidade do mundo) perdem um pouco de suas características. Percorrer os bares de tapas num dia ensolarado é uma típica experiência gastro-antropológica, como disse a Dri Setti.

Reina Cristina -  e a ilha oásis entre Born e Barceloneta

Saindo da minha casa, na Calle Reina Cristina, temos que escolher se paramos no Perikete ou no Bodega. Os dois, situados na mesma rua, são duas novidades que me surpreenderam com o sabor/serviço/preço.

Até a hora de começar este texto, eu não sabia qual sugerir, mas confesso que o Perikete mudou a minha vida – não me leve a mal, ele pode não mudar a sua, mas eu me apaixonei perdidamente por morcilla – aquele produto que meus sogros irlandeses sempre quiseram que eu provasse, no café da manhã, haha, mas se eu contar pra vocês o que é ninguém experimenta. Para saber melhor sobre um dos meus novos amores, leia o post completo aqui

Can Paixano – La Xampaneria (cash only)
C/ Reina Cristina, 7
Aberto de 9 às 22:30, exceto domingos e feriados

Uma instituição. O bar de cava, tapas, embutidos e sanduba é lendário. Filas todos os dias na porta, de segunda a sábado (nem tente vir nos domingos e feriados). Todo mundo aglomerado (o lugar é pequeno) pra provar o cava barato e bom assim como os sanduíches famosos

Uma das ideias do dono era exatamente essa: fazer que o cava, diferentemente do champagne, permanecesse barato e popular, servindo como uma tradição daqui. Revivem as antigas “tascas” da Barceloneta. Além de barzinho lotado, lá no final, há uma loja onde podemos comprar os produtos da champagneria e levar pra casa.

Vaso de Oro
C/ Balboa, 6
Aberto todos os dias de 11am às 00h.
Fechado: de 1º ao 22 de setembro.

Após sanduba e cava, a próxima parada é com cerveja:  cerveja caseira e tapas de excelência, num lugar com mais de 50 anos de tradição. Da última vez que visitei, catalães saíam e me disseram para não ir embora sem provar a cerveja escura e o filé com fois. O pequeno vácuo entre o balcão e a porta, de um lado algumas mesas altas que são luxo de poucos nos horários mais visitados, de dentro garçons que tem orgulho do seu vaso, cerveja e dessa instituição situada na parte alta do bairro.

IMG_7199.JPG

Jai-Ca
C/ Ginebra, 13
Aberto de terça a sábado de 9 às 23h.
Domingo de 9 às 22:30h.

Desde 1955, o Jai-ca (que é uma junção de Jaime com Carmen, os donos) vive tão lotado que abriu um segundo bar, na esquina seguinte – o que não significa quase nada nas ruelas da Barceloneta.

IMG_7200.JPG

Lembro a primeira vez que fui, lá pra 2010, depois da praia e nunca esqueci aquelas tapas e a buena onda local que, ainda por cima, é barato.
Hoje em dia, aceitam reservas <3 e para grupos também.

La Bombeta
C/  Maquinista, 3
Aberto de 11 às 24h. Confirmar dias que fecham.

Talvez o maior de todos os botecos da rota indicada e, como o nome mesmo sugere, sua tapa-estrela é a famosa bombeta da Barceloneta, um croquete tamanho GG com massa de batata e recheio de carne, por cima um molho picante. Concorre com o boteco que descrevo abaixo, o La Cova Fumada, que alega ser ter inventado o salgado-delícia e os digo: provei os dois e tenho meu preferido, que tal provar também e vir me contar qual dos dois apetece mais? Na nossa turma de 6 pessoas foi quase empate.

Sendo o melhor ou não na Bombeta, não deixe de provar a infinidade de tapas que tem aí.

Seguimos rolando para...

La Cova Fumada
C/ Baluard, 56
Aberto de segunda a sexta, de 9 às 15h e de 18 às 20h
Sábados de 9 às 13:20h.

Lá se vão mais de 70 anos de história. Dona Palmira ali tomando conta da chapam dentro do lugar que não tem nem placa na entrada. As 15h fecham as portas, quem entrou, entrou e, quem não, tem que voltar de noite.

La Cova Fumada é uma antiga bodeguinha aberta em 1944. A famosa bomba, que já comentei e vocês não podem cansar de ler, é a tapa emblemática da casa e do bairro, sendo “inventada” pela avuelita Maria, em 1955. Este lugar é um dos bares mais concorridos da rota, não aceitam reserva, mas qualquer espera vale muito a pena. Enquanto esperamos uma mesa, tomamos uma cerveja na calçada, esperando ansiosamente que Josep Maria nos chame.

La Caseta del Migdia

DSC_4318.jpg

La Caseta é um dos segredos de Barcelona, situada no Mirador del Migdia, em Montjuic. Por sinal, Montjuic em si é uma colina cheia de segredinhos, mirantes, jardins e museus ra serem desbravados.

Além de ter vistas excepcionais do mar e da montanha, nos proporciona uma alternativa fresca no verão e gostosa no inverno, sendo um dos únicos pontos da cidade onde podemos contemplar o pôr do sol completo, já que a própria montanha impede o mesmo de ser apreciado do centro da cidade e mesmo da praia. 

 Dia de churrasco, em pleno inverno

Dia de churrasco, em pleno inverno

E bom ficar de olho na programação, já que sempre tem coisa acontecendo por ali durante o verão. Costumavam ter noites de rumba, bandinhas e tudo mais. Os horários de outono-inverno são sábados, domingos e feriados de 12h até o pôr do sol. 

DSC_4317.jpg
 Como chegar. Ilustração do site pra facilitar.&nbsp;

Como chegar. Ilustração do site pra facilitar. 

Oaxaca - cozinha mexicana de qualidade

 Foto: reprodução&nbsp;

Foto: reprodução 

Acabamos de mudar de apartamento, em Barcelona, e está indo tão bem que, seguramente, vou explodir num futuro próximo. Na minha rua já existem 3 dos meus novos lugares favoritos de Barcelona. Além do mais, na frente da minha casa está o famoso Can Paixano. 

O Oaxaca é um restaurante mexicano que abriu em 2014 e faz parte do grupo Sagardi. Chegamos para o almoço e sem nem pestanejar, pedimos o menu degustação com direito a guacamole feitinha na hora. 

 Foto: reprodução&nbsp;

Foto: reprodução 

Atendimento exemplar, de uma rapidez e cordialidade admiráveis. O lugar é lindo (tem o restaurante e a mezcalería ao lado, bela) e a comida continuou no mesmo nível do serviço e design. 

Seu chef, Joan Bagur, propõe uma gastronomia tradicional que combina técnicas culinárias ancestrais com outras contemporâneas de vanguarda. O Oaxaca faz parte do grupo Sagardi.

Na minha opinião, a guacamole foi a estrela do dia: impecável mistura de sabores. Para o Duncan, é claro que foram os tacos do final, com bastante feijão, por favor, haha. 

O preço do menu degustação (setembro de 2017) foi de 50 euros. 

Pla del Palau, 19
No Born. 

Não fecha nunca, abre de domingo a domingo de 12 às 16 e de 20 às 24. A Mezcalería abre de 12pm às 2am, sem interrupção. 

http://oaxacacuinamexicana.com/es/

La Grande Fiesta foodie no Born

... e em quantos idiomas se faz um título.

Pela primeira vez, o Born Street Food é o prelúdio para as festividades da Mercè. Os melhores estabelecimentos gastronômicos e gourmets do bairro vem para as ruas numa maneira extraordinária de ocupar a Pla de Palau.

 Foto: reprodução do evento

Foto: reprodução do evento

Nascido em junho, o Born Street Food já é um clássico na cidade. Agora, neste mês de setembro, eles prepararam algo grande! Nos dias 15, 16 e 17 de setembro, fazendo preparação pra semana mais festiva de Barcelona, o Born terá a oportunidade de encher a boca de saliva dos paladares mais exigentes.

Live cooking

Se você ainda não conhece a associação Barcelona Born Gourmet, te explico. É uma associação que reúne os melhores restaurantes e estabelecimentos “gourmets” deste antigo bairro barcelonês.

live cooking.jpg

O que os define melhor é a experiência acumulada, a constante ligação com o bairro e o atendimento aos clientes através da qualidade dos produtos. Vocês encontrarão empresas com força absoluta n cidade, como: Vila Viniteca, Sagardi Cuiners Bascos, La Vinya del Señor, Oxaca Mexican Cuisine, Tapeo Born, Sagàs Pagesos e Cuiners, Llambies o Euskal Etxea Taberna, e isso só pra dar alguns exemplos.

Bom, aqui vem a cereja do bolo: todo mundo cozinhando ao vivo.

A essência gourmet

Não troque gato por lebre, né, more? Podemos achar diversos lugares com o nome “gourmet” que não passam do nome. Aqui, nos referimos aos autênticos profissionais que dão veracidade ao conceito.

Eu já estou fazendo o evento circular entre meus amigos, que seguramente, junto comigo, vão aproveitar de uma extraordinária e saborosa experiência e ainda mais, com uma taça do que há de mais espetacular :P

Redescobrir a Pla de Palau –

O melhor: no dia 15, no exato primeiro dia do evento, volto a morar em Barcelona (depois de Paris e Sitges) e guess what? Mi casita é do lado do evento. Estarei aí todos os dias, sim ou com certeza?

Até alguns anos atrás, a Pla de Palau era um lugar de passagem e apenas isso. Graças à iniciativas como Born Street Fodd, esta área de Barcelona mais próxima ao mar se converte num lugar de peregrinação para os paladares mais seletos. O distrito da Ribera volta a ser um lugar cheio de vida como foi época medieval: porta de entrada de tudo o que chegava do mar.

Onde?
Pla de Palau

De 12:00 do dia 15 às 20:00 do dia 17 de setembro.
Edição Especial da Mercè.

(Alguns) (D)Os melhores brunchs de Barcelove

Chega o final de semana. Chega com ele também aquela vontade de curtir um lugarzinho, um conversê, se confraternizar, algo entre o café da manhã e o almoço. Não é verdade?

Não seja por isso. Se rolou a baladinha no dia anterior e acordamos um pouco mais tarde ou... Se rolou o exercício e a preguiça de cozinhar REINA (haha), no pasa nada! Barcelove tem diversos brunchs - lyndos - pra oferecer. 

Além dos que estão no Guia Amigo de Barcelona escrito por mim (Ueeepaaaaa!) que logo, logo está disponível pra compra, coloco aqui alguns que adoro! 

Obs.: Como estou viajando e o post ficou pronto, as fotos são todas reproduzidas dos sites. Logo menos tem atualização e as minhas entram (até das que tiro do celular). 

LA FEDERICA
Carrer de Salvà 3 www.facebook.com/barlafederica

Paral.lel carrega a maioria dos lugares em alta da cidade e isso não é novidade – é só pensar nos irmãos Adrià e todos seus cases de sucesso.  O La Federica é um lugar com ar retrô e que dá muita importância ao detalhe. Os ovos são especialidade!

GRANJA PETITBO
Passeig de Sant Joan, 82 http://www.granjapetitbo.com/

Detalhes - Foto: reprodução

Berlin, New York, Barcelona. Uma esquina em que estes 3 lugares se confundem pela decoração e ambiente. Ok! Barcelona só se confunde porque está no endereço :) Não está no eixo mais turístico da cidade, mas o lugar é um charme e tá na moda - vive cheio de gente cool; no domingo tem fila pra entrar. Panquecas, ovos mexidos, croissants e um clima superbacana!  

CUP & CAKE www.cupcakesbarcelona.com

É, na verdade, uma rede de lugarezinhos espalhados pela cidade que tem a capacidade de ser aconchegante, clean e que valem a pena uma visita. Além dos pratos tradicionais de brunch, eles oferecem doces de babar – podem percebem que o nome da rede é cupcake - e incluem saladas para aqueles que querem um brunch saudável (até que enfim minhas saladinhas <3)

Foto: reprodução

Meus favoritos são:

Cup & Cake –  C/Enric Granados, 145
Brunch & Cake – C/Enric Granados, 19
Travel & Cake –  C/Roselló, 189 (Barcelona)

MEATPACKING BISTRO 
Trav. de Gràcia 50-52 www.meatpackingbistro.com

Uma esquina que nos remete à Nova York. O nome nos expede também, é lógico ;) Descobri esse pedacinho da Big Apple nos meus passeios à pé por Barna e pensei: será que só eu que não conhecia esse lugar? Só podia ser. LOTADO e ainda perto da rua mais VIP da city (Calle Tuset). Eles oferecem diferentes tipos de brunch, desde o clássico estilo americano até bacon e embutidos (Oxford Style). Tem um terraço gostosinho pra desfrutar dos dias de sol.

FEDERAL CAFE 
Parlament 39. www.federalcafe.es

Federal Cafe. Foto: reprodução

Bem no centro do pedaço mais descolado da cidade, Sant Antoni. Nesse café de australianos, existe o clássico do brunch: ovos a la fiorentina, torradas com bacon e ovos, bolos e inclusive saladas, sanduíches (até de camarão!). Moderninho e aberto de 8 até uma da manhã. 

DOS TRECE 
Carme 40. www.dostrece.net

Ah! O Dos Trece é destes defendidos com unhas e dentes por algumas pessoas. Eu não tinha entendido muito bem a posição destas até finalmente ir. É um caso de amor entre os assíduos e o local. Também pudera: em pleno Raval, atendimento lyndo, brunch espetacular, sem furdunço de turistada e ainda tem opção vegana. Não é pra morrer de amor? Ahhhh! O preço também é bem razoável ;)




Dos Cielos e os queridos irmãos Torres

Sempre coloquei na minha cabeça: fora do caminho, pra que vou sugerir o Dos Cielos pros meus clientes que passam pouco tempo em Barcelona? Que bobinha eu fui,

Já tinha lido críticas em relação aos irmãos e seus restaurantes onde não estão sempre presentes (São Paulo, por exemplo) e não tinha vontade de visitar o quase-ao-lado Dos Cielos. Bobinha e, agora, preconceituosa fueeeen! :(

Numa reviravolta louca, já que estou partindo de Barcelona pra novas experiências e aventuras, resolvi fazer uma das despedidas aí, com eles, provando o mais novo menu de degustação de outono.

Pra começo de conversa, o Dos Cielos é o restaurante dos irmãos Torres, Javier e Sergio. Um restaurante que tem uma estrela Michelin e fica no 24º andar do Hotel Meliá Sky, em Barcelona. 

Logo que chegamos ao 24º andar, somos recebidos calorosamente pela hostess (que eu até abracei no final de tão fofa que ela era), que nos levou diretamente para cumprimentar os hermanos, simpaticíssimos. O ambiente é muito agradável, a decoração clean e de muito bom gosto. Mas o melhor ainda estava por vir e surpreender.

Uma das pessoas que nos serviu era uma moça catalã que ensaiava um português charmosinho, já que tem aulas. Isso nos aproximou e ela me convidou para falar sobre o Brasil com os chefs. Eles são muito simples, simpáticos, humildes e talentosíssimos (acho que vem uma segunda estrela por aí).

Eu e os irmãos Torres

Eu e o Duncan resolvemos pedir o menu de outono com a "maridaje" de vinhos, onde cada vinho vem em harmonia com os pratos. 

Tomates y capellanes

Essa areia negra é uma delícia! Negra malta com pão ralado

Pra acompanhar os aperitivos...


AS surpresas começam: Biscoito de Polvilho

Dá pra acreditar que eles começam a incluir ingredientes do Brasil no menu? Eu morri de amor. Mas o melhor está por vir.

5 tipos de pães deslumbrantes (haha) feitos por eles. Amo pão, mas evito. 

As algarrobas de Collserola (abaixo) foram uma surpresa. Não sei se consigo eleger o melhor dos pratos, mas este, em especial, me marcou. 

Algarrobas de Collserola


Granizado de tomares, aceitunas y salazones

Berenjena frita, coriandro, comino y verdolagas

O prato de Berinjela na brasa era lindo, delicado e saboroso. Além da Berinjela, pele de batatas, alho, pimentão vermelho, amaranto, mostarda, especiarias, e o centro dela, macio e cremoso. De babar!

Abaixo, o  Ajo Negro de Las Pedroñeras. Um alho com denominação de origem, o melhor alho da Espanha :O A origem do alho é japonesa e ele é fermentado 40 dias a 60 graus. Este tipo de fermentação multiplica as propriedades saudáveis pro nosso organismo.

E agora, veio o mais inesperado. O prato que mais me surpreendeu e que me deixou abismada! Me explico, sou de Belém do Pará e existem ingredientes típicos da nossa gastronomia que só existem aí, como o Jambú. Gente, tinha jambú num dos pratos, como não amar los hermanos Torres? :) 

O prato em si não foi o mais bonito, em termos de apresentação, mas sem dúvida, foi o que mais me deixou surpresa e feliz. 

Carabinero de Huelva, Algas, Pepino y Estragón.

Ahhhh! Jambú!


Cabrito lechal a la brasa, albaricoques, anchoas y migas de pan

A versão deles para o Gin Tonic: drink muito da moda em Barcelona e em diversas partes do mundo ;)

Quando eles me ganharam de vez... Os Torres sempre usam a sobremesa final como surpresa e a chamam de La Joya. Ela vem numa caixinha e quando abrimos, voilà. Só que eu acredito que escolhi o menu perfeito pra degustar (a estação perfeita, no caso): a sobremesa final era bombom de cupuaçu! Eu quase enfartei de amor <3

E pra finalizar, um pouco do ambiente do terraço. Preciso dizer mais alguma coisa? Imperdível!

 

Informações:
Dos Cielos
Carrer de Pere IV, 272 - 286, 08005
Telefone: +34 933 67 30 70
http://www.doscielos.com/




 

 

Mercat de Mercats

Todos os anos, Barcelona tem o prazer de celebrar a grande festa do produto e da gastronomia, na Praça da Catedral.
É uma feira aberta, em pleno bairro gótico, que tem o objetivo de fomentar a qualidade dos produtos e os próprios produtos locais. 

Em cena, vários (super!) nomes da gastronomia local, como Joan Roca, Josep Maria Castaño, Carles Gaig e Jeroni Castell, estão envolvidos no projeto que já vem acontecendo há alguns anos. 

Além da venda dos produtos (mais abaixo eu digo os preços), existem cursos, aulas gastronômicas, workshops e bastante gente pra que o final de semana seja alegre e saboroso. 

Quando? Neste final de semana, do 17 ao 19 de outubro. 

Lembrando que o acesso é gratuito, mas pra poder consumir, tem que desembolsar uns eurinhos. 

Para mais informações:
http://www.mercatsbcn.cat/
Avinguda de la Catedral
Bairro Gótico - 08002
Transporte: Jaume I (linha L4)

Yubari: O japonês UAU que promete

Uma quarta-feira de feriado, lá estou eu em casa, sem muitas pretensões de sair pra comer.

No máximo, pedir uma comida que, no caso, seria um japa, meu desejo honesto de dias preguiçantes.

Mas... Surge um convite irrecusável. Tão irrecusável que eu dei um pulo do sofá pra analisar as fotos do lugar que (pasmei!) ainda nem abriu oficialmente. UAU! Não, não seria possível que eu estaria sendo convidada pra provar e escrever sobre o lugar, ainda no soft opening. 

O Yubari é um restaurante de alta gastronomia japonesa que promete. E, na minha opinião, promete ganhar estrela michelin. O lugar é deslumbrante, o serviço impecável, a comida saborosa e o general manager, Simone Canena é tão competente que a apresentação do local nos deixou boquiabertos (deem uma olhada no currículo e na experiência do Simone, no link).

Cada detalhe do restaurante foi bem pensado e, com certeza, muita grana foi investida no espaço espetacular. Tem alguma dúvida? Dá uma olhada na galeria de fotos logo abaixo!

As fotos acima são todas do facebook do Yubari, que foram tiradas por um profissional. As minhas ~amadoras~ virão mais abaixo ;).

São dois andares de puro bom gosto. Tudo ali dentro tem um toque orgânico, vivo e contemporâneo; sem perder a elegância da tradição japonesa.

O Kio Bar é a parte de cocktails extraordinários do próprio restaurante, que conta com o Organik bar e o Kiokata.

Kiokata

Organik Bar

Gastrokio, o casamento oficial entre coqueteis gastronomicos e edomae sushi

A noite toda foi deliciosa, cheia de surpresas e um sabor que me recuso a descrever. A atmosfera nos encanta, até mesmo quando vamos aos lavabos, que nos remete a uma floresta com design.
Além de tudo, eles ainda contam com uma sala privada que possui um telão onde podem ser feitas reuniões e vídeo conferências, com acesso a um bar privado. Fico só imaginando a classe :)

O bar privado

Não tenho nenhuma dúvida de que este lugar arrebenta. Estou completamente encantada. E NÃO! Este não é um publipost, é amor mesmo. 


Informações:
Yubari é o nome de uma cidade japonesa na província de Hokkaido.
Tudo ali dentro merece ser visitado e explicado. Cada detalhe remete a alguma tradição japonesa. 

A Abertura oficial será no dia 22 de outubro e o endereço é:
Avenida Diagonal, 339 bis
Reservas podem ser feitas na fanpage, telefone ou e-mail:
tel: +34 933484073
@: info@yubarirestaurant.com






Tapaç 24: o bar de tapas de Carles Abellan

Experimentei, por acaso, o Tapaç 24, o bar de tapas de Carles Abellan - o sucessor do Ferran Adriá e El Bulli. 

O Tapaç 24 é o bar de tapas do famoso chef, que começou sua carreira independente com o querido mais-mais Comerç 24 e sua gastronomia molecular e desconstrutiva. 

Não experimentei completamente por acaso, claro. O que aconteceu é que neste dia, eu não planejava ir. Quando andei por perto depois de um curso, percebi que não tinha fila! Yeah! :) - Sobre isso, tenho que comentar que a Adriana Setti fez um post sobre como evitar filas nos bares de tapas badalados de Barcelona (já que eles não fazem reservas).

O Carles Abellan é sua própria marca. Eu acredito que, depois de se posicionar como um dos melhores chefs de Barcelona, seja fácil abrir qualquer negócio e fazer sucesso. Só pelo fato de ser dele, já é propaganda pura a favor do estabelecimento. Envelope, guardanapo, cardápio e tudo mais faz parte da marca, que começou com o lindinho e concorrido Comerç 24. 

Eu gostei de estar ali, num lugar que foi planejado e é simples, bacana e cool, além de ser uma perfeita oportunidade de provar os experimêntos moleculares do chef de uma maneira barata, convenhamos. Tenho meus ligeiros prós e contras, que chegam a seguir.

Prós:

  • Tapas do dia: de acordo com os produtos mais frescos, as tapas do dia são escolhidas.
  • Simples, modernete. Um lugar pra aproveitar o famoso chef, já que é barato e despojado. 
  • O cardápio é bem design. Além do cardápio escrito, há as tapas de giz numa mini-lousa negra e giz.
  • Jornais do dia espalhados para os clientes
  • Tem um terraço para aqueles que preferem ficar ao ar livre
  • Toda a explicação e sugestão dos tapas.
  • Sim, é gostoso, né? :P
  • Levei uma amiga pra provar o prato estrela da casa e ela lambeu os dedos. Se alguém se interessar, envio até fotos heheh.

 

Contra: 

  • Não tem wifi. Isso sempre vai contar pra mim, já que escrevo sobre viagens, sou consultora e preciso estar conectada. Se eu não morasse em Barcelona, estaria num ótimo lugar que peca por não oferecer wifi. O que acham? 
  • Pequenito, apesar de ser uma marca Abellan. Se forem em horário de pico, espera a fila na calçada.
  • O "menú del día", no quadro negro, só está em catalão. Quando visitei o lugar, tinham duas australianas do meu lado que pediram só o que entenderam, em inglês. Olharam pro meu e puxaram assunto pra saber o que eu pediria e o que já tinha pedido. 

 

Tapas do dia: somente em catalão

Tapaç 24

Yum!

Jornais para os clientes

Barra

Restaurante Martínez - Vistas e boa comida

Hoje chega aquele tipo de artigo rápido e direto. Aquele mesmo artigo que chega com pressa de contar algo visto, algo do tipo que não pode ser desperdiçado. Essa é a minha sensação depois de ter ido, por acaso e sem planejar, ao Martínez. 

Sim, estou um pouco atrasada na visita, mesmo tendo anotado o tal lugar naquelas listas do que "tenho-que-visitar". Aberto desde o verão passado, o Martínez possui esse ar escondido que, ao mesmo tempo, grita ao mundo que existe. 

Localização estratégica, porém inacessível aos habituais turistas de Barcelona. Estacionamento, jardins e vistas panoramicas são os melhores atrativos... Talvez seja por isso que exista esta mescla de catalães e pessoas que moram na cidade. (E haja nacionalidade!)

Chegamos sem reserva, já que estávamos passando por ali. Pedro, meio agoniado, mas com boníssima vontade, nos acomodou em uma mesa com vistas para a montanha. Que lugar charmosinho!

A especialidade era o arroz, logo que o restô abriu, no ano passado. Acredito que eles mudaram um pouco o rumo quando perceberam que servir arroz às 23h pode pesar. Reação perfeita com opções de pratos leves misturando peixes, saladas e carnes. 

Ah, valeu. Valeu cada minuto que passamos ali. Tinhamos hora pra ir embora e isso, sem sombra de dúvidas, nos deu esse gostinho de quero-mais. 

Martínez, os mexilhões fizeram muito sucesso (minha mãe assina embaixo!). Assim como o carpaccio e a salada verde. Voltaremos. Voltaremos! 

Logo abaixo, uma galeria de fotos do fim de tarde. 


Casa Martí - Els 4gats

Um centro de modernismo

Esse é meu xodó heheh! Escondido pelas pequenas ruas do bairro gótico, em Barcelona, o café-restaurante que possui 115 anos ocupa o palácio Casa Martí. Um verdadeiro charme modernista que vem com histórias e projeções culturais que fizeram deste lugar um ícone em Barcelona.

Sabia que foi aqui que Picasso teve sua primeira exposição? Mas não era só Picasso quem frequentava o local, vários intelectuais da Barcelona boêmia e modernista se reuniam aí, com suas tertúlias cotidianas, nos finais do século 19. Gaudí, por exemplo, era um grande frequentador :) O El 4Gats era a porta de entrada a Barcelona para vários artistas vindos de toda a Europa e é um herdeiro deste legado de encontros literários, musicais e artísticos que ocorreram ali – Barcelona foi o berço das belas artes, num determinado momento.

A Casa Martí foi construída na calle Montsió por Puig i Cadalfach em 1896 com um ar proposital de castelo medieval. A fachada, inspirada no gótico europeu, mescla com vários elementos do próprio estilo modernista catalão. Na entrada, um desenho do próprio Pablo Picasso – a capa do cardápio – nos convida a entrar no restaurante fundado por Pere Romeu, Santiago Rusiñol, Ramón Cases e Miguel Utrillo. Dentro do restaurante também há vários desenhos e quadros dos mesmos.

O bar do 4gats

Na parede o quadro de Ramón Casas: Ramón Casas y Pere Romeu en Tàndem

O restaurante


O nome:

“4Gats” é uma expressão catalã que significa “só algumas pessoas” e o nome Els Quatre Gats foi derivado deste dizer. Os fundadores que citei um pouco mais acima também escolheram este nome como uma homenagem ao “Le Chat Noir”, o famoso cabaré parisiense.

Curiosidades:

A capa do menú foi feita por Picasso, quando ele tinha 18 anos.

Vocês assistiram ao filme do Woody Allen, “Vicky Cristina Barcelona”? Esta cena abaixo foi filmada lá!


Yummy!

 

Mais informações:

Serve-se gastronomia mediterrânea a qualquer hora do dia.

Aberto: Todos os dias da semana de 10am até 1am

Localização: Montsió, 3, 08002 Barcelona

Como chegar: Metro L1 e L3, parada Catalunya e L4, parada Urquinaona. Ônibus 16, 17, 19, 40, 41, 42, 45, 55 y 141. Barcelona Bus Turístic, parada Pl. Catalunya.

Telefone: 93 302 41 40
e-mail: info@4gats.com

Rota da Nouvelle Cuisine - Um laboratório de sabor

 “Gastronomia molecular”, “Cozinha ‘desconstrutiva” e “Nouvelle Cuisine” são termos que tem sido bastante escutados aqui em Barcelona desde os anos 90.

 Sendo a inovação e a criatividade os pontos de partida, os contrastes de sabor, temperatura e textura fizeram da Catalunha a terra da nova escola culinária. Inspirada por Ferran Adrià, o famoso chefe do El Bulli e chamado “Salvador Dalí da cozinha”, a escola descreve que a ideia é provocar, surpreender e deliciar o jantar, transformando tudo em experiência.

 Atualmente, alguns chefs como Carles Abellan e Jordi Vilà ainda tem como inspiração Sr. El Bulli, enquanto que outros como os irmãos Roca (E o premiado Celler de Can Roca) e Sergi Arola,  vão em outras direções, deixando a criatividade ir para outro lado e fundir duas culturas diferentes com novas técnicas, como a Mediterrânea e Asiática.


Partindo dessa ideia, aventurar-se por essa Barcelona gastronômica é um deleite.

Moo:

Localizado no belo e design hotel Omm, o Moo é um dos espaços dos irmãos Roca, os famosos donos do Celler de Can Roca, que foi eleito este ano pela terceira vez consecutiva como o melhor restaurante do mundo. Uma maravilha contemporânea.  

O chefe Felip Llufriu toma como ponto inicial a tradicional cozinha mediterrânea para fluir na sua pessoal e moderna interpretação. Roger Visuà (recentemente titulado como melhor sommier da Europa) propõe, para cada prato, uma taça de vinho em concordância.

É possível pedir pratos separados ou pedir os menus gastronômicos que variam entre 79 e 100 euros. Se quiser o acompanhamento do vinho equivalente a cada prato, o preço varia de 35 a 40 euros, o que parece bem razoável para o nível de estética e experiências. Incrível!

 

Comerç 24:

Carles Abellan trabalhou durante 7 anos no El Bulli, onde teve sua formação e até hoje tem como inspiração Ferran Adrià.

Com uma estrela Michelin, o espaço é sofisticado e fica entre o clássico e o bar de tapas. Informal e pequenino, é um convite para uma explosão de sabores! O resultado dos pratos é uma mistura das raízes espanholas com a cozinha internacional feita de um jeito que só Abellan e seu talento proporcionam.

Os menus variam de 90 a 120 euros, mas existem também as opções a la carte.

 Alkimia

É aquele tipo de lugar que você sabe que não pode perder, mesmo sabendo que, no final, pode gostar ou não. Os pratos criativos que revolucionam pratos clássicos não são para qualquer pessoa – eles enaltecem aqueles que também comem com os olhos.

O restaurante é comandado por Jordi Vilà, premiado chef com uma estrela Michelin, é conhecido pela sua expertise em criar novos pratos misturando o tradicional com um senso de aventura peculiar.

No restaurante do chamado “campeão da gastronomia moderna”, o ambiente parece mais clássico do que contemporâneo. Mesas brancas, silêncio daqueles que podemos quase ouvir o pensamento do outro e o contraste da nouvelle cuisine. Os pratos são bem variados e o lugar é recomendado por todos os concierges da cidade.

Para um restaurante que serve gazpatcho com morangos e sorvete de leite de cabra como sobremesa, os preços não são tão salgados – de acordo com o renome do chef: para o jantar, os menus variam de 64 a 94 euros e para o almoço, o menu especial de meio-dia custa somente 39 euros. 

Dos Palillos

Um lugar onde as tapas espanholas encontram os sabores delicados da Ásia, mais especificamente do Japão, China, Vietnam e Tailândia. E que inspiração!

O chef Albert Raurich trabalhou no tal El Bulli durante 10 anos, dos quais foi chef principal durante 6. Com essa informação, jo da gastronomia modernaque tamb eles ando a fugir do lugar-comum cotidiano. essencialmente ços rante 6, trabalhando do lado de á dá pra ter noção de que ele sabe bastante sobre inspiração e inovação.

O restaurante recebeu sua primeira estrela Michelin em 2012 e vem mostrando pura criatividade e graça nas tapas. Os dois menus de degustação custam 55 e 75 euros, que são chamados de menu “uma hora e meia” e menu “duas horas”. Na hora do almoço, o menu tem um preço especial de 20 euros.


Tickets

É claro que novos projetos do internacionalmente famoso (e citado algumas vezes neste artigo) Ferran Adrià não podiam faltar. Ele e seu irmão, Albert, abriram um bar de tapas em Barcelona em 2011 que contém alguns dos hits do cinco-vezes-melhor-do-mundo El Bulli.

O lugar é bem decorado, descontraído e democrático, já que é acessível para turistas e famílias de Barcelona que nunca conseguiram ir a Costa Brava, onde ficava o extinto restaurante.

Tudo parece ser divertido por ali, até o sorvete da sobremesa vem num carrinho com um sino e o algodão-doce? Como se fosse a copa de uma árvore. É possível provar as espanholices com a apresentação típica dos irmãos da gastronomia molecular, sem precisar gastar muito. O único problema é conseguir uma mesa no lugar, já que eles só fazem reserva pros dois meses seguintes e sempre está LOTADO. Uma dica? Chegue na hora que abre, as 19h; é o único horário que eles permitem a entrada sem reserva.

Tast a la Rambla - 1ª Semana de Gastronomia de Barcelona

Do 12 ao 15 de junho, 42 restaurantes, bares e docerias da cidade transformarão a Rambla de santa Mônica em um festival culinário.

De uns anos pra cá, o barcelonês tem reclamado que a cidade está cheia de turistas e que as famosas Ramblas são somente para eles. A ideia é reivindicar a avenida para todos os tipos de público e não somente aos visitantes.

O espaço terá uma zona de degustação onde vai ser possível provar pratinhos de restaurante bem conhecidos por aqui, muitos deles com estrelas Michelin. Uma barra de 150 metros vai estar dividida em 4 temas: gastronomia de autor, gastronomia tradicional, tapas e petiscos, e doces.

Funciona da seguinte maneira: Serão 20 caixas onde os tickets podem ser adquiridos. Depois de comprar a quantidade de tickets necessária, é só se dirigir à barra e aproveitar. "A previsão é servir entre 80.000 e 90.000 tapas e mais de 100.000 taças de vinho/cava", estima Agulló.

Além do Tast a la Rambla, cursos de tapas serão ministrados. Para mais informações sobre essa programação (eu não vou perder hihi): http://www.tastalarambla.cat/

Horários:
Quinta, 12: 12:00 às 22:00
Sexta, 13:  11:00 às 22:00
Sábado, 14: 11:00 às 22:00
Domingo, 15: 11:00 às 20:00 Baixa, descobreix, gaudeix i... Tasta la Rambla!

We Pop Deluxe - quando Barcelona vale a pena

DSC_0635

Febre em NY, Londres, Buenos Aires e Dublin, os famosos restaurantes "pop-up" deram o ar de sua graça em Barcelona. Já estava tarde! A boêmia da cidade sentia falta. Este tipo de evento não tem calendário fixo e nem endereço, o que dá um gostinho a mais. Temos que prestar atenção para saber quando vai rolar, mandar um e-mail para fazer a reserva e aproveitar.

A primeira temporada foi em março, no cabeleireiro mais hype da cidade, chamado The Secret Room - um conceito moderno num apartamento em pleno Passeig de Gràcia. Já a segunda, que aconteceu em julho e foi quase uma maratona de final de semana, ocorreu no Carlitos y Patricia .

No último final de semana, eu tive o prazer de ir à edição "Deluxe" do We Pop. Eles escolheram como endereço a loja Antonio Miró, localizada na Rambla Catalunya, que vende roupas bacanas, móveis, bicicletas e otras cositas más. O menu estava mais perto de restaurante com estrela michelin do que os fundos de uma loja de moda: creme de abóbora com azeite trufado (que eu nunca vou esquecer!), salada de rúcula com peixe e vinagre de manga e "fideos" com tinta de lula e salmão; tudo isso com vinho à vontade! Dá pra acreditar?

O evento em si já vale a pena, agora imagine isso com organizadores bem relacionados que conseguem reunir gente bonita e interessante, DJs, mercadinhos e tudo mais? Já espero ansiosa pela próxima edição! E não durma, só acontece em um final de semana.

DSC_0618 DSC_0621 DSC_0626 DSC_0630 DSC_0634 DSC_0635 DSC_0639 DSC_0642 DSC_0653