Experimentei o Jamie Oliver in Dublin

Adoro quando as coisas acontecem assim, sem planejar :) 

Tudo começou quando estava voltando de uma viagem que incluiu Paris, Amsterdam e Brugges - e que ainda contou com o King’s Day (vai vendo haha). Chegando em Dublin, nos prometemos: “vamos fazer uma dietinha pós-férias porque o negócio tá pegando :P”. Com a ideia de limpar o organismo, resolvemos fechar com chave de ouro no Jamie Oliver em Dublin, que é, na verdade, o Jamie’s Italian. 

Eu me encantei com filosofia da marca, inspirada (óbvio :) ) nos costumes italianos e sua maneira de encarar la vie: amor, paixão e entusiasmo pela comida, pela família e pela vida, sem interessar muito de onde vieram as pessoas, se são ricos ou pobres. 

De acordo com o próprio chefe-estrela, o que ele mais gosta em relação aos italianos é que mesmo tendo os melhores fashion designers e os melhores carros do mundo, eles conseguem manter um senso único de tradição e a atmosfera de cidadezinha, o clima rústico. É exatamente isso que encantou Jamie Oliver desde pequeno: boa comida pra todo mundo. 

Existem várias informações sobre as inspirações e a filosofia que podem ser encontradas no site (http://www.jamieoliver.com/italian).

Uma geral do restaurante

Uma geral do restaurante

Logo que cheguei ao restaurante, me senti MUITO confortável, como se estivesse num restô/lugarzinho da minha própria vizinhança. O serviço eficaz, informal e ao mesmo tempo respeitador foi imprescindível pra que eu decidisse passar umas boas horas por ali. E o melhor de tudo: além de me sentir em casa, a combinação do sabor dos pratos com o preço condiz com a filosofia do Jamie’s Italian que citei antes: comida gostosa, acessível e sem preconceito. Ponto pra nós! 

O restaurante tem uma rotatividade enorme. Ficou lotado durante todos os momentos que estivemos por lá sem perder a eficiência. Dos diversos garçons que estavam ali, não observei nenhum que não estivesse com um sorriso no rosto, pronto a suprir às necessidades de cada cliente ali presente. Sempre solícitos (até mesmo quando não eram chamados), nos surpreendiam antecipando nossas vontades com um: “Está tudo bem? Precisam de alguma coisa?”

A decoração me agradou e acredito que foi essencial pra que este clima de "casa" permanecesse. Fora isso, existe um detalhe que não poderia deixar de comentar: as paredes grafitadas! Gamei tanto que decidi ali mesmo que terei uma dessas na minha futura casa :) Confiram na galeria de fotos mais abaixo. 

Entradinha maravilhosa: pimentões recheados com atum e ricota <3

Entradinha maravilhosa: pimentões recheados com atum e ricota <3

A quem interessar, pedimos o "preferido do dia" do Jamie Oliver que era o Peru à milanesa recheado com prosciutto & fontal e ovo frito com trufas. Finalizamos com uma tábua de queijos que nem tem no cardápio e eles preparam só porque pedimos. 

Quando pedimos o prato principal, devemos pedir os acompanhamentos que se encontram logo ao lado no menu. Para o meu deleite, eles tinham salada de vagem e quem me conhece sabe que eu amo vagem mais que TUDO. Lambi os dedinhos ;)

Vocês usam snapchat? Eu sim (mayrajinkings) e sempre que visito um lugar novo, seja restaurante, cidade, atração turística ou o qualquer "zueira", eu posto por lá. Me adicionem :)

Aqui abaixo o vídeo que fiz no dia e postei no snap (por isso a qualidade não está lá essas coisas)
 


Endereço: Jamie's Italian
Unit 1
Pembroke Distric
Dundrum Town Centre
Dublin 16

Horário de abertura 
Domingo a quarta de 12:00 até o último cliente (sem hora pra fechar)
Quinta a Sábado de 12:00 às 22:30

Se quiser reservar, pode fazer pelo site mesmo ou ligar pra: 012980600. Ou então, aparece de cara que não tem problema.

Belfast: 48 horas na cidade

Compacta e pitoresca, a vitoriana cidade da Irlanda do Norte tem uma história de conflitos e vive um presente vibrante. Com menos de 280 mil habitantes, Belfast desafia os visitantes e oferece mais atrações do que podemos imaginar.  Capital desde que o país se tornou uma entidade política autônoma, em 1921, mostra o período conturbado de sua história recente em atrações turísticas bem particulares, como os muros políticos e o hotel Europa, conhecido como o mais bombardeado da Europa Ocidental. No entanto, não são só os resquícios de conflitos entre unionistas (protestantes) e separatistas (católicos) que movimentam a cidade. Sem sombra de dúvidas, a charmosa capital merece maior atenção.


O centro de Belfast é uma mistura impressionante de arquitetura vitoriana, eduardiana e georgiana. Passear por suas ruas revitalizadas pode ser uma experiência e tanto. Elas são uma curiosa mistura de pubs e igrejas, um ao lado do outro. Explorar a cidade é bem fácil e existem várias ruas no centro que são somente para pedestres. Isso ajuda na visita a alguns edifícios importantes como o City Hall, um dos símbolos locais e que ocupa a Donegall Square inteira; e o Albert Clock, uma torre nitidamente torta com um relógio no topo em homenagem ao Príncipe Albert.


Recortada por campos verdes, penhascos e praias de pedras, a cidade irlandesa é um ponto que merece ser conhecido. Se estiver por perto, siga este nosso roteiro:

HISTÓRIA POR TODOS OS LADOS


O Black Taxi Tour: Não foi somente Berlim que teve um muro de separação entre seus habitantes. A diferença entre a barreira da capital alemã e a de Belfast é que na Irlanda do Norte ela ainda está de pé e separa católicos e protestantes, literalmente, até hoje. O tour tem caráter político, religioso e social. Surpreende por diversas vezes e provoca sentimento de indignação. São mais de dois mil muros espalhados pela cidade e, durante todo o percurso, o “taxista” que leva os visitantes – sim, este roteiro é feito em um táxi preto – dá uma aula de história. Só assim é possível entender diversos momentos dos conflitos, passando por lugares bombardeados e narrando trajetórias como a de Bobby Sands, voluntário do IRA que morreu na prisão quando fez uma greve de fome. A saída para este “passeio” acontece no Solidarity Wall, seguindo para a Fall road (o reduto dos católicos); e termina em Shankill Road, onde está a maior concentração de protestantes.


O black cab leva o viajante para conhecer os muros que separaram por anos a cidade / Foto: Mayra Jinkings

Onde: a principal empresa que proporciona este tipo de tour é a Belfast Tours. Basta ligar e combinar com o guia para acertar o local de encontro e a hora. Informações emwww.belfasttours.com.
Contato: taxitours@msn.com ou pelo telefone +44 02890 642264


POR DENTRO DO TITANIC

Museu Titanic Belfast: aberto em março de 2012, o novíssimo museu é composto por nove galerias com várias dimensões de exibição, unindo efeitos especiais, reconstruções em larga-escala com inovadoras formas de exploração da história do Titanic. Pouca gente sabe, mas o navio foi construído em Belfast e naufragou em 1912 nas águas do oceano Atlântico.  O passeio não fica chato porque o visitante descobre como o Titanic foi construído de maneira interativa – com direito a uma exploração do fundo do mar.

Preço: entrada 14,75 libras
Onde: Queens Island, Belfast BT3 9DT, UK / Telefone: + 44 28 9076 6386


COMER E BEBER NO BAIRRO DA MODA

Pequenina, Belfast é um convite para passeios a pé. E o final do dia é perfeito para explorar as ruas em busca de pubs e restaurantes. Há alguns anos, o point gastronômico tem se concentrado em torno do Cathedral Quarter. Localizado na parte norte da cidade, o bairro está repleto de bares design e restaurantes premiados, criando uma “deliciosa dificuldade” para quem quer comer bem, já que são diversas as alternativas.


O Made in Belfast é um destes que vive LO-TA-DO desde a hora de abertura até o final do expediente. Motivos para isso não faltam: uma decoração cool, garçons simpáticos, comida boa e um ambiente muito agradável. Indispensável fazer reserva para poder comer por lá. Se quiser acertar direto, é o restaurante perfeito.

Endereço: Cathedral Quarter Talbot St, Belfast BT1 2QH, UK.  Telefone:+44 28 9024 4107

Já o The Spaniards é o bar do momento e parada obrigatória. Muito bem frequentado e sempre cheio, o pub tem música ao vivo, dois andares, bebida barata de qualidade, comidinhas espanholas e um ambiente bem eclético. Tá explicado o sucesso!

Endereço: Cathedral Quarter 3 Skipper St, Belfast, County Antrim BT1 2DZ, UK. Telefone: +44 28 9023 2448



Izakaya - meu amor por Dublin em forma de japa

O Izakaya é um “achado” pra mim, mas disputadíssimo pelos dublinenses. Sendo o último empreendimento do grupo Yamamori, fica na rua South Great Georges Street, 12-13, no mesmo local onde existiu o primeiro Café da Irlanda, o Bewleys. Além de todo charme do local, decorado com um estilo oriental cheio de inovação e modernidade, há pequenos detalhes que fazem toda a diferença e nos fazem querem ficar (ou voltar sempre).

 

Uma coisa fantástica de observar são os comerciais de cerveja chinesa dos anos 40 que passam no telão no subsolo e os posters de filmes orientais, tudo isso acompanhado de alguma boa cerveja asiática ou vinho (eles tem uma ótima seleção por lá).

Mas… Meu ponto preferido mesmo ficou em poder escolher qual o tipo de arroz que queremos no sushi: branco ou integral. Isso é fantástico! Eu não queria mais ir embora daquele lugar por isso; e também pela simpatia e atenção de quem trabalha lá,  pelo clima completamente confortável e amical que o Izakaya nos proporciona, por um pouco de requinte deixado no ar, pela variedade de pratos (eles indicam sem pestanejar o homemade Izakaya Burger) e de sushis delícias; e, claro, por tudo o que eles me fizeram sentir naquele domingo.

Tirando isso, na parte do subsolo há um lounge no estilo das casas japonesas que conta com alguns outros tipos de comidinhas típicas de pub e uma grande oferta de cocktails, whiskeys, cervejas e sake, claro. Para acompanhar, pudemos desfrutar de sons modernos e bem bacanas de Dublin e de um DJ que fez a festa, literalmente. 

Foi tão bom que chegamos na hora em que o restaurante abriu, as 17:30, e fomos um dos últimos clientes a sair do lounge. Uma maravilha para quem gosta de decoração oriental, comida japonesa, bom serviço e música boa. 

Tudo o que eu amo numa mesa só :D

YAMAMORI IZAKAYA fica na 12-13 South Great Georges Street, Dublin 2. 

The Dock: um café diferente em Belfast

A alguns metros da experiência do Titanic, The Dock Café é um projeto que chama a atenção por ser e fazer diferente.

Você entra, faz sua bebida, pede um café ou escolhe algo que está no menu do dia, como sopas ou bolos. Até aí, tudo normal, não é? A diferença está na hora da conta, onde você só paga o que acha que deve pagar E SE achar que deve. Há uma caixa da honestidade onde os clientes depositam a quantidade que acham justa. 

Conversei com o dono do café e ele disse que vem funcionando bem, que eles tem lucros, mas que só compram os ingredientes do dia seguinte com o que ganharam no "hoje". Ele também afirmou que quando uns não podem pagar muito, vem outros e pagam muito mais.

 

Legal, né? Além disso, o lugarzinho é bem charmoso e possui exibições de fotos, fatos sobre o próprio Titanic e investe em novos artistas.

Uma ótima pedida pra quem vai visitar Titanic Experience.

The Dock Café
Endereço: 2K Queen’s Road, Belfast BT3 9DT, United Kingdom

Horas de funcionamento:
Todos os dias, de 11 às 17h, exceto domingo.