New Orleans inspira!

New Orleans inspira!

New Orleans é a cidade mais excêntrica dos Estados unidos. E como todas estas que carregam o mesmo fardo, NOLA, como também é chamada, luta para não ser mal interpretada e nem ser reduzida a clichês.

A cidade carrega consigo o estigma de ser relacionada somente à Bourbon Street, aos passeios de carroça e a algum tipo de lugar turístico que diz tocar música local. Complementando, o Mardi Gras (incrível, por sinal), é visto como uma orgia de rua, cheia de bêbados andando pelo French Quarter.

Apesar de todo o estereótipo, as aparências reais “decepcionam” aquelas pessoas que acreditam que New Orleans não é nada além disso. New Orleans guarda as delícias pra quem chega. E aproveita!

Para entender melhor New Orleans e toda a identidade abusadamente maravilhosa que carrega, eu não poderia deixar de citar um acontecimento: em 2005, toda a identidade coletiva foi colocada a prova, quando o furacão Katrina abalou a cidade, não só matando mais de 1.400 de pessoas e destruindo quase 3 de quarto casas.

O Katrina mandou os moradores ao exílio. Qualquer um que chegasse a New Orleans depois do acontecido, se perguntou: Será que NOLA será a mesma um dia? E se conseguir voltar a ser, será que se tornará uma versão diminuta do que um dia foi?

O primeiro sinal de força popular – e de identidade cultural, história e orgulho – foi quando os moradores resolveram celebrar o carnaval, ainda que isso fosse acontecer só 5 meses depois do Katrina. Para aqueles que não carregavam a identidade no peito, além de frustrante, isso chegaria a ser até obsceno. Estes mesmos se perguntavam: Em vez de estarmos de luto, vamos nos fantasiar e fazer os desfiles pelas ruas?

Mas o Mardi Gras e toda a festividade são uma afirmação de quem esse povo é.  Celebrar este folclore no início de 2006, quando as marcas das enchentes ainda estavam pelos muros, as escolas ainda fechadas e corpos ainda sendo encontrados no meio dos entulhos significava nada menos de que eles voltariam.

Hoje a cidade voltou a ser o que era antes e existem ainda mais restaurantes e bares do que antes do furacão.

Ter quase perdido a cidade e tudo o que ela significa fez tudo ser mais new orleanian ainda. 

Orleans Grapevine - Wine Bar & Bistrot

Quando entramos pelas portas francesas, entramos num portal com mais de 200 anos. Esse prestigioso edifício foi originalmente construído em 1808 por Antoine Angue. Foi onde estava localizado o primeiro restaurante crioulo de New Orleans.

Hoje em dia, está sob os olhos e mãos de Pam Fortner e Earl Bernhardt, que renovaram o edifício histórico tentando ao máximo trazer de volta o ambiente original, as características do passado.  

Lembro exatamente como se fosse ontem pela noite. Eu e meu irmão comentamos, ao sair do Grapevine: "Este restaurante PRECISA ser recomendado".

Eu andava com meu caderninho e fiz minhas anotações, deslumbrada. Fechamos com chave de ouro nossa estadia na maravilhosa New Orleans. E se eu ainda tivesse mais um dia, voltaria com certeza. 

Serviço impecável, uma cozinha que mistura a francesa (claro, esse bistrot aí não vem do nada) e comida creoula, em pleno Vieux Carré (French Quarter). 

Sentamos no terraço interior, onde havia mais duas mesas e uma fonte - com wine leaves hihi - entre nós. Era tarde e chegamos uma hora antes de fechar. Uma pena! Só eu sei hehe.

Pedimos ostras de forno - ai, que delícia! - assadas com queijo Asiago; uma tábua de queijos com frutas, pra mim uma salada de queijo de cabra com blueberries e, pro mano, um Black Angus Filet. Eu juro que demorei tanto pra comer porque não queria ir embora que o Yuri já estava impaciente, já que passava das 11pm, hora que o restaurante fecharia.

Além de tudo isso, eles oferecem uma carta de vinhos bem extensa e diversificada. 

Anota aí! 
Está localizado no coração do Vieux Carré, atrás da Catedral de St Louis, entre Royal e Bourbon Street. 

Orleans Grapevine - Wine Bar & Bistrot
720 Orleans Avenue
New Orleans, Louisiana 70116

Horários de abertura
Todos os dias às 4pm
O Jantar é servido de domingo a quinta entre 5pm e 10.30pm
Sexta e sábado de 5pm às 11pm.